Indústria

Siemens quer atrair licenciados das áreas financeiras e de gestão

O exemplo e a experiência dos estágios das engenharias e tecnologias da informação vai ser replicado, em 2018, com o primeiro Finance Trainee Program

Are you in? Este é o desafio que a Siemens Portugal lança aos jovens finalistas dos cursos de Gestão, Finanças, Contabilidade e Economia em Portugal. Considerada uma das empresas mais atrativas para engenheiros e licenciados nas áreas das tecnologias de informação, a Siemens Portugal quer, agora, posicionar-se “no mesmo patamar” para os quadros das áreas financeiras. E, por isso, criou um Finance Trainee Program, um programa de estágios com 18 vagas em aberto para 2018 e que arranca já a 15 de janeiro. As inscrições terminam no final do mês.

O estágio, remunerado, terá a duração de um ano e a taxa de empregabilidade, no fim do estágio, é elevada. “A experiência mostra-nos que ficamos com a maioria dos jovens que fazer os seus estágio na empresa. Nos programas semelhantes que tivemos, nas áreas de Engenharia e TI’s, a taxa de empregabilidade rondou os 80%. Em última instância, tudo depende do desempenho destes trainees, mas acreditamos que fiquem todos connosco a iniciar a sua carreira profissional, depois do estágio. Será sinal que fizemos um bom trabalho de seleção e que os estagiários fizeram um bom processo de integração e de aprendizagem”, diz Madalena de Sá, que entrou no grupo, em 1992, através de um programa de estágios, e que hoje é responsável pelo centro internacional de Finance Shared Services, em Portugal. Lidera uma equipa de 250 pessoas.

“Uma das minhas maiores conquistas foi ter convencido a Siemens AG que Portugal é o sítio certo para ter centros de competências devido aos recursos existentes no país. O exemplo mais recente é o centro de competências de IVA, que trabalha para todas as entidades europeias e que tem sido um sucesso”, garante.

Para dar a conhecer este novo Finance Trainee Program, a Siemens organizou, recentemente, um Open Day para o qual foram convidados 40 jovens de cinco faculdades – o Instituto Superior de Economia e Gestão, a Nova School of Business and Economics, o Instituto Superior de Contabilidade e de Administração de Lisboa, a Universidade Católica e o Instituto Universitário de Lisboa -, aquelas com que a empresa “tem proximidade, inclusive ao nível do recrutamento”.

Todos os candidatos terão de passar pelas quatro fases de recrutamento previstas, desde a inscrição online, passando pela pré-entrevista telefónica, por uma análise de dinâmica de grupo e por uma entrevista final. Os 18 que “mais se destacarem” e que “melhor corresponderem” aos perfis procurados serão os escolhidos. A fluência em inglês é fundamental, sendo o conhecimento de outras línguas fator preferencial. Além disso, a Siemens pretende jovens com “espírito de equipa, curiosidade e vontade de aprender” e que se identifiquem com os valores do grupo, “Responsabilidade, Excelência e Inovação”. Oferece “formação contínua e on-the-job”, “conhecimento privilegiado dos negócios e operações da empresa e “oportunidades de carreira dentro da Siemens”.

O programa arranca a 15 de janeiro e os 18 estagiários serão dividido em dois grupos, de modo a que passem por dois departamentos financeiros distintos dentro da empresa (seis meses em cada um). “Esta rotatividade permitirá aos estagiários perceberem efetivamente o que é ser financeiro na Siemens, a interligação entre os departamentos financeiros centrais e os de negócio, que oportunidades existem e que tipo de carreira podem construir na empresa”, diz Madalena de Sá.

O ano passado, a Siemens recebeu 113 jovens para estágios profissionais. “Estes estagiários, por norma, acabam por ficar na Siemens, na área onde estagiaram ou noutra área que requeira perfil compatível. Por exemplo, na área financeira da Siemens é possível trabalhar em diferentes realidades, ou seja, podem trabalhar num centro de serviços partilhados e colaborar a nível internacional com as Siemens de outros países, ou ficar numa área de negócio e ter um papel importante num projeto nacional de energia, indústria, ou mobilidade, entre outros”, explica.

Madalena de Sá lembra, ainda, que a Siemens é uma das maiores empresas do Mundo, com múltiplas áreas de negócio, o que abre uma imensidade de opções de um jovem licenciado. Como a possibilidade de poder construir uma carreira internacional. “Vários financeiros que começaram na Siemens Portugal ocupam agora cargos de destaque na sede da empresa, na Alemanha, ou em Siemens de outros países”, frisa a responsável de Finance Shared Services.

Este responsável destaca a importância que o grupo dá ao equilíbrio entre a vida profissional e familiar. “Temos várias iniciativas que o comprovam: ginásios na nossa sede, cantinas com horários prolongados e refeições gratuitas, instalações médicas e seguros médicos gratuitos por um ano para recém-nascidos, entre outras. Outro aspeto muito apreciado são os horários flexíveis. Em 2016 lançámos um novo programa de teletrabalho e, presentemente, 33% por cento dos nossos colaboradores já trabalham neste novo modelo, desenvolvendo as suas tarefas, parcialmente, a partir de casa”, salienta Madalena de Sá.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
VALORES Arrábida Shopping[192606]

Valores. Empresa de comércio de ouro quer ter 230 lojas em 2021

Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA / EU COUNCIL HANDOUT  HANDOUT)

Centeno quer acordo europeu antes do verão

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

1316 mortos e 30 623 casos de covid-19 em Portugal

Siemens quer atrair licenciados das áreas financeiras e de gestão