autoeuropa

Sindicato contra decisão “unilateral” de novo modelo de horário na Autoeuropa

Fotografia: JFS / Global Imagens
Fotografia: JFS / Global Imagens

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente (SITE) do Sul disse hoje que está completamente contra uma eventual decisão “unilateral” para um novo modelo de horário na Autoeuropa.

No final de duas horas de reunião com a administração da empresa, o dirigente Eduardo Florido disse à agência Lusa que a Autoeuropa não assumiu durante o encontro que a proposta hoje feita aos trabalhadores para alteração do seu horário fosse “unilateral”, como o comunicado distribuído esta manhã pela empresa aos trabalhadores assumia.

“Estamos completamente contra. O que está em cima da mesa é uma proposta praticamente igual à que levou à greve de dia 30 de agosto. Há um retrocesso e a empresa já sabe qual é a posição dos trabalhadores”, disse o dirigente do SITE-Sul.

O sindicato afirma assim estar disponível “para colaborar e encontrar uma solução que agrade a ambas as partes”, tendo sido agendada uma reunião de negociação na próxima semana.

“Fizemos algumas propostas alternativas que passam pela adesão individual e voluntária dos trabalhadores para quem quer trabalhar ao sábado e defendemos também que deve haver uma melhoria das contrapartidas financeiras e outras condições”, disse.

A administração da Autoeuropa comunicou hoje aos trabalhadores a intenção de avançar, em janeiro, com um novo horário de produção de 17 turnos semanais, face à rejeição de dois pré-acordos negociados previamente com a Comissão de Trabalhadores.

Na proposta, a administração da Autoeuropa promete pagar os sábados a 100%, equivalente ao pagamento como trabalho extraordinário, que era umas principais reivindicações dos trabalhadores. Este pagamento dos sábados a 100% poderá ainda ser acrescido de mais 25%, caso sejam cumpridos os objetivos de produção trimestrais.

“Em finais de janeiro vamos iniciar o modelo de trabalho de 17 turnos semanais, que cumpre com a lei e garante a produção aos sábados a dois turnos”, refere um comunicado da empresa distribuído hoje de manhã aos trabalhadores.

“Claramente que vamos refletir no ‘feedback’ que nos foi dado com o resultado do referendo. Embora tenham sido expressas muitas opiniões diferentes nas várias reuniões, entendemos que a maioria dos colaboradores está comprometida com o cumprimento do programa de produção do próximo ano”, acrescenta o comunicado.

No documento, a administração da Autoeuropa defende a necessidade de avançar com “um modelo de trabalho que seja legal” e refere que “as condições do pré-acordo rejeitado seriam possíveis apenas com uma autorização do Conselho de Administração da marca Volkswagen para o aumento dos custos de produção da fábrica, pelo que, sem um acordo, não é possível manter essas condições”.

O novo horário, que entrará em vigor em finais de janeiro, deverá vigorar até ao mês de agosto de 2018. A Autoeuropa promete discutir o período após agosto com a Comissão de Trabalhadores.

Os novos horários de laboração contínua preveem quatro fins de semana completos e mais um período de dois dias consecutivos de folga em cada dois meses para cada trabalhador.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
apple one

Apple One junta vários serviços, chega a Portugal mas com limitações. O que tem

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

Sindicato contra decisão “unilateral” de novo modelo de horário na Autoeuropa