Sindicato denuncia despedimentos e assédio na Cofidis

O Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Financeira (Sintaf) denunciou esta quinta-feira a tentativa de despedimentos pela Cofidis e acusou a empresa de "coação e assédio" a uma trabalhadora que se recusou a sair.

"Na passada sexta-feira, 15 de maio, seis trabalhadores da Cofidis foram confrontados com o fim do seu trabalho na empresa", afirma o Sintaf em comunicado.

O sindicato conta que a empresa especializada em concessão de crédito "convenceu" cinco dos trabalhadores a aceitar que "não havia lugar para trabalhar na empresa", mas uma trabalhadora "não aceitou este 'convite' para se ir embora", comunicando a sua decisão à Cofidis.

"Desde ontem, 20 de maio, que esta trabalhadora, como represália, está confinada a uma sala, sozinha, sem trabalho, sem computador e sob coação e assédio", pode ler-se no comunicado do Sintaf.

"Por ordem da chefia, a sala deve ser mantida fechada" e "amanhã pelas 09:00, esta trabalhadora apresentar-se-á ao trabalho", continua o sindicato.

O Sinraf afirma que já solicitou "a intervenção das autoridades competentes para por fim a esta situação ilegal e vergonhosa".

A Lusa contactou os responsáveis pela comunicação da Cofidis, que remeteram uma reação para mais tarde.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de