Google Next '17

Software empresarial da SAP vai para a nuvem da Google

Sundar Pichai CEO da Google no Google Next '17

As duas empresas também anunciaram que irão desenvolver tecnologias de inteligência artificial de forma conjunta.

A concorrência mais feroz do mercado de tecnologias de informação está a ser disputada nas nuvens e a Google acaba de dar um passo para se chegar à frente. Durante o evento Google Next ’17, que decorre esta semana em São Francisco, a gigante anunciou a disponibilização das aplicações empresariais da SAP na plataforma Google Cloud.

É uma parceria importante também para a SAP, que foi obrigada a redirecionar os seus esforços para a nuvem à medida que a venda de pacotes de software tradicionais perdeu mercado. Os resultados foram animadores em 2016, com um crescimento de 31% nas receitas provenientes de software e serviços fornecidos através da plataforma na nuvem.

O foco da parceria foi revelado em palco pelo membro do conselho executivo da SAP responsável por produtos e inovação, Bernd Leukert. Basicamente, os clientes da empresa alemã poderão usar as suas aplicações de negócio na nuvem da Google, ao mesmo tempo que será oferecida maior integração com a suite de apps para desktop da gigante de Silicon Valley.

As apps SAP HANA vão para Google Cloud, enquanto a HANA Express Edition estará disponível no Google Cloud Launcher. Mais, a plataforma de nuvem da SAP vai correr em Google Cloud; e as duas empresas vão colaborar na governança de dados dos clientes.

“Queremos desenvolver conjuntamente soluções que trazem visibilidade e controlo dos dados aos nossos clientes”, disse Leukert, “e ao mesmo tempo servir como zeladores desses dados.”

O Google Next ’17 pretende estabelecer a empresa como uma ameaça séria no segmento de fornecedores de nuvem – mercado liderado pela Amazon Web Services, que domina praticamente metade de todas as implementações de nuvem pública, com a Microsoft em segundo. É aqui que a Google quer fazer estragos. A integração com a SAP é um passo nessa direção, e não se trata apenas de certificação: as duas empresas pretendem ter uma estreita colaboração ao nível da engenharia e ter uma forte integração das apps G Suite (anteriormente Google Apps) com as aplicações da SAP.

Por exemplo: a ferramenta de correio eletrónico Gmail será integrada com a solução de CRM SAP Cloud for Customer; o Google Calendar será integrado com a Concur Tripit, e as folhas de cálculo com a SAP BusinessObjects Cloud. Para demonstrar as vantagens desta integração, o CIO da Colgate-Palmolive, Mike Crowe, esteve em palco a falar da experiência da empresa.

O projeto começou em maio do ano passado e estava lançado para toda a organização, que tem 28 mil empregados, em cerca de três meses. “Vemos que as pessoas estão a trabalhar de forma diferente”, disse Crowe, referindo que a utilização de algumas ferramentas, como Google Drive e Google Hangouts, é “impressionante.”

“As pessoas estão a trabalhar mais juntas a partir de localizações diferentes”, referiu. “Foi uma adoção das suites de produtividade mais rápida do que eu esperava.”

Bernd Leukert, o responsável da SAP, revelou ainda que a empresa está a colaborar com a Google em tecnologias de inteligência artificial, nomeadamente aprendizagem de máquina (machine learning), e mais detalhes serão avançados durante a conferência anual da empresa de software, Sapphire, dentro de dois meses.

Na sua curta intervenção, o CEO da Google, Sundar Pichai, sublinhou que a empresa tem “investido em machine learning e inteligência artificial durante os últimos quinze anos.” O mais recente investimento foi anunciado no próprio evento: a aquisição da plataforma Kaggle, maior comunidade de ciência de dados da web.

Diane Green, que dominou a keynote de arranque do evento, acrescentou que a nuvem é “uma tecnologia transformadora” que está a mudar a forma como as pessoas trabalham em conjunto. “As nossas empresas estão a tornar-se virtuais”, sublinhou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves.
Maria João Gala / Global Imagens

Secretário de Estado da Proteção Civil demitiu-se

Rui Rio quer jornalistas penalizados por violação do segredo de justiça

Rui Rio quer jornalistas penalizados por violação do segredo de justiça

Outros conteúdos GMG
Software empresarial da SAP vai para a nuvem da Google