vinhos

Sogrape compra quinta em Bucelas

Sogrape_Quinta da Romeira1

Quinta da Romeira marca a entrada da Sogrape nos vinhos da região de Lisboa.

A Sogrape anunciou a aquisição da Quinta da Romeira, em Bucelas, propriedade que marca a entrada do líder de mercados dos vinhos em Portugal na região de Lisboa. O valor do investimento não é adiantado, mas Fernando Cunha Guedes, CEO da Sogrape, promete que a empresa irá “ajudar a mudar Lisboa”.

Com 75 hectares de vinha e a maior área da casta Arinto a nível nacional, a Quinta da Romeira vem “reforçar a liderança” da Sogrape na categoria dos vinhos portugueses e ajudá-la a “afirmar-se como produtor de referência” numa região que, sublinha, tem vindo a conquistar cada vez mais consumidores a nível mundial. “Entrar em Lisboa era, para a Sogrape, obrigatório. E fazê-lo através da sub-região de Bucelas é, para nós, um enorme motivo de alegria e orgulho, mas também de grande responsabilidade”, refere, em comunicado, o CEO da empresa, que classifica Bucelas como uma denominação de origem “muito especial, onde reina uma grande casta e se produzem vinhos de excecional qualidade”.

Localizada a 30 minutos de Lisboa, a Quinta da Romeira existe desde 1703 e chegou a receber o Duque de Wellington. Conta com uma área total de 130 hectares, entre vinha e floresta. Prova Régia e Morgado de Sta. Catarina são as marcas aqui produzidas. No comunicado, a Sogrape dá, ainda, conta que pretende investir em toda a cadeia de valor, para desenvolver um “projeto sustentado e de longo prazo” na região de Lisboa. “Tirar partido do bom momento que vivem estes vinhos e simultaneamente contribuir para dinamizar a região é o grande objetivo”.

Com sede em Avintes, Vila Nova de Gaia, a Sogrape tem hoje presença nas principais regiões vitivinícolas nacionais, do Douro ao Alentejo, passando pelos região dos Vinhos Verdes e pelo Dão, mas, também, em Espanha, na Argentina, no Chile e na Nova Zelândia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República, em Lisboa, 10 de maio de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Joe Berardo: “Tenho servido de bode expiatório”

Carlos Costa. Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

BdP vai divulgar relatório dos grandes devedores mas incompleto

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Centeno assegura clarificação das dúvidas do BCE

Outros conteúdos GMG
Sogrape compra quinta em Bucelas