resultados semestrais

Sonae Capital reduz prejuízos para 2,8 milhões

Miguel Gil Mata,  presidente executivo, da Sonae Capital.
Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens
Miguel Gil Mata, presidente executivo, da Sonae Capital. Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

No segundo trimestre do ano, a empresa inverteu prejuízos em lucros. Fechou com 2,18 milhões.

A Sonae Capital gerou um prejuízo de 2,89 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma franca melhoria face aos 11,5 milhões negativos apresentados no homólogo de 2018. No segundo trimestre do exercício, a empresas liderada por Miguel Gil Mata registou um lucro de 2,18 milhões, que compara com os 2,8 negativos do homólogo.

O volume de negócios atingiu 95,8 milhões de euros no primeiro semestre, um crescimento de 3,5% face ao mesmo período do ano passado. Em comunicado, a Sonae Capital destaca as performances positivas dos negócios de energia, fitness, hotelaria, das operações do Troia Resort.

O EBITDA das unidades de negócio totalizou 14,5 milhões de euros no período em análise, 12,8% acima do homólogo de 2018. Com isto, a Sonae Capital fechou o semestre com um EBITDA consolidado de 16,6 milhões, um crescimento de 58%.

Nos primeiros seis meses do ano, a Sonae Capital realizou um investimento bruto de 22,1 milhões, com o projeto da central de cogeração alimentada a biomassa a absorver 11,7 milhões e a aquisição da cadeia de ginásios Urban Fit a valer 3,4 milhões.

Miguel Gil Mata realça em comunicado que a Sonae Capital mantém “uma estrutura de capital adequada, não obstante o investimento realizado, que ascende já a 22,1 milhões de euros, e a distribuição de dividendos, no valor de 18,5 milhões de euros”.

A dívida financeira fixou-se nos 144,7 milhões no final do primeiro semestre.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Poupança das famílias subiu no 2º trimestre

Deco pede medidas urgentes para travar crédito ao consumo

Elisa Ferreira, António Costa. Fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

Elisa Ferreira. Minas de lítio têm de “compensar impacto ambiental”

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira (E), e a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D). Fotografia: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo deixa cair referencial geral para aumento de salários

Sonae Capital reduz prejuízos para 2,8 milhões