Energia

Sonae Capital compra de Ventos da Serra e reforça produção da energia

Cláudia Azevedo lidera o grupo Sonae. Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens
Cláudia Azevedo lidera o grupo Sonae. Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens

A Sonae Capital concretizou a compra da totalidade do capital da empresa de produção de eletricidade Ventos da Serra.

A Sonae Capital concretizou a compra da totalidade do capital da empresa de produção de eletricidade Ventos da Serra, após a ‘luz verde’ da Autoridade da Concorrência, segundo comunicado ao mercado.

“A Sonae Capital informa que, após a obtenção de declaração de não oposição por parte da Autoridade da Concorrência e cumprimento das demais condições acordadas, se tornou efetiva a aquisição, pela CapWatt, da totalidade do capital e direitos de voto da sociedade Ventos da Serra – Produção de Energia”, refere a informação divulgada através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa Ventos da Serra detém e explora um parque fotovoltaico com potência instalada de 10 Megawatt (MW) em Ferreira do Alentejo, Beja, e o negócio foi feito por “um preço global de 29,1 milhões de euros”.

Com esta aquisição, a Sonae Capital diz que, através da CapWatt, “ampliou o seu portfólio de unidades de cogeração e produção de energia através de fontes renováveis (solar e eólico)”, detendo agora em Portugal 12 centrais de cogeração, 10 centrais fotovoltaicas e um parque eólico.

“A totalidade da capacidade elétrica instalada, detida ou operada por empresas controladas pela CapWatt, ascende a 73MW”, acrescenta.

A Sonae Capital teve um prejuízo de 4,85 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, quando tinha tido um prejuízo de 3,88 milhões de euros em igual período do ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Sonae Capital compra de Ventos da Serra e reforça produção da energia