Resultados 1º trimestre

Sonae Capital reduz prejuízos para cinco milhões

Miguel Gil Mata,  presidente executivo, da Sonae Capital.
Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens
Miguel Gil Mata, presidente executivo, da Sonae Capital. Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

A Sonae Capital assume que a venda dos ativos imobiliários do Fundo WTC é um dos principais projetos do exercício

A Sonae Capital gerou prejuízos de cinco milhões de euros no primeiro trimestre do ano, registando uma melhoria do resultado líquido que no período homólogo de 2018 atingiu os 8,6 milhões negativos. As vendas da empresa, que integra atividades como fitness, energia, metalomecânica, turismo e imobiliário, atingiram os 39,1 milhões no período em análise, um incremento residual de 0,2% quando comparado com o homólogo de 2018.

O primeiro trimestre teve “diferentes níveis de concretização nos vários negócios” da empresa, sublinha Miguel Gil Mata, CEO da Sonae Capital, no comunicado enviado ao mercado. Apesar disso, conseguiu aumentar as vendas e reforçar a rentabilidade operacional. O EBITDA cresceu 7% para 4,9 milhões.

A unidade de energia registou um incremento de 17,8% nas vendas, totalizando 14 milhões de euros, e o EBITDA cresceu 9,2% para 3,6 milhões.

Já no fitness (marcas Solinca, Pump e One), cujas vendas aumentaram 12,1% para 10 milhões, a Sonae Capital reforçou a sua posição no mercado com a aquisição de quatro clubes. Por sua vez, o negócio da hotelaria viu as receitas aumentarem 5,4% para três milhões.

Na Adira, o segmento de engenharia industrial, a faturação caiu de 3,3 milhões de euros para 2,6 milhões, situação esperada dada a baixa de encomendas registada no final do ano passado. A Adira está agora a promover a marca em Espanha, mercado que a empresa quer recuperar dado o seu “enorme potencial”.

Ainda este ano, Miguel Gil Mata quer avançar com a venda dos ativos imobiliários do Fundo WTC, “um dos principais projetos” do exercício, “desde que assegurado um preço que expresse o seu valor”.

A dívida líquida da empresa era de 134,4 milhões de euros no final de março.

Miguel Gil Mata afirma-se “convicto” que ao longo do ano a Sonae Capital continuará a implementar a sua estratégia “e a entregar resultados que evidenciem o valor que estamos empenhados em criar”.

 

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
: PÁGINAS : LIXO 08-09 NEGÓCIOS Eólicas + Opinião

Eólica vs. solar. Que energia dominará a Europa em 2030?

Turistas no Miradouro São Pedro de Alcântara, em Lisboa.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ourém recua, Guimarães pondera. São já 8 os municípios que cobram taxa turística

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve confiante numa estabilização do mercado britânico

Outros conteúdos GMG
Sonae Capital reduz prejuízos para cinco milhões