Sonae emite 20 milhões de obrigações verdes. Já tem mais de 15% da dívida associada a sustentabilidade

O novo empréstimo obrigacionista ocorre depois de, no passado dia 10, a Sonae já ter realizado um conjunto de refinanciamentos de 150 milhões de euros também ligados a indicadores ESG.

A Sonae emitiu 20 milhões de euros em obrigações "verdes", indexadas ao desempenho dos indicadores ambientais do grupo. A operação, organizada pelo BBVA, por subscrição particular, sem recurso a garantias e pelo prazo final de cinco anos, eleva para 280 milhões o montante total de empréstimos de longo prazo contratados pela Sonae SGPS e pela Sonae MC com enquadramento sustentável, "Green" e "ESG".

"O compromisso que a Sonae tem com as pessoas e com o planeta é inegociável. Faz parte do nosso ADN. Temos hoje metas concretas e exigentes em várias dimensões sociais e ambientais - e não temos receio de nos colocarmos à prova. Atualmente, temos já uma parte significativa dos nossos financiamentos associada ao cumprimento de objetivos ESG e ambicionamos vir a ter ainda mais. Não só porque nos desafia, mas também porque acreditamos que a única forma viável de pensar em criação de valor é fazendo-o nas suas dimensões económica, social e ambiental, de forma integrada e indissociável", diz João Dolores, CFO da Sonae.

O novo empréstimo obrigacionista ocorre depois de, no passado dia 10, a Sonae já ter realizado um conjunto de refinanciamentos de 150 milhões de euros também ligados a indicadores ESG. "Com estas operações, o montante total de empréstimos de longo prazo contratados pela Sonae SGPS e pela Sonae MC com enquadramento sustentável, "Green" e "ESG", ascende já a 280 milhões de euros, o que representa mais de 15% do montante de dívida bruta atual destas empresas", refere o grupo.

Esta nova linha, organizada pelo BBVA, tem uma duração de cinco anos, dependendo o spread final desta operação do "cumprimento de metas relacionadas com a liderança no feminino e com a redução das emissões de CO2".

A operação foi organizada pelo Banco BBVA, por subscrição particular, sem recurso a garantias e pelo prazo final de cinco anos.

O grupo dono do Continente ou dos centros comerciais Colombo e NorteShopping atualizou recentemente o seu Plano para a Igualdade de Género, "com metas ainda mais ambiciosas para a liderança no feminino, bem como o compromisso da neutralidade carbónica em 2040, dez anos antes da meta definida pela União Europeia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de