Inovação

Inovação. Sonae investiu 105 milhões no retalho

Continente Barbosa du Bocage (6)

O Livro de Inovação no Retalho está já na sua 9ª edição e sintetiza os principais projetos implementados na Sonae

A Sonae “reforçou a sua aposta estratégica” na inovação, em 2017, tendo desenvolvido mais de 660 projetos a nível mundial. O investimento do grupo em investigação e desenvolvimento ascendeu a 105 milhões de euros, um valor que representa um aumento de 2%, face ao ano anterior, e que corresponde a 0,34% das vendas dos negócios de retalho da Sonae.

Estes são dados disponíveis no “Livro de Inovação do Retalho 2017”, o relatório que foi dado a conhecer esta quarta-feira e que foi editado pelo nono ano consecutivo, e no qual é possível perceber que a Sonae prosseguiu com a sua “estratégia de inovação aberta”, trabalhando com 423 parceiros em 30 países de quatro continentes. “Estimular a partilha do conhecimento e o desenvolvimento de iniciativas por via de cooperação em rede” foi o objetivo desta cooperação com universidades, centros de investigação e desenvolvimento, empresas, startups e incubadoras e aceleradoras, entre outras. Envolvidos nas diversas iniciativas de inovação estiveram 2.265 colaboradores da Sonae ao longo de 2017.

No comunicado, a Sonae dá conta que os projetos de inovação implementados permitiram “aumentar vendas, reduzir custos e poupar tempo”, contribuindo “positivamente” para os resultados alcançados pelo grupo. O valor presente líquido dos projetos desenvolvidos é estimado em mais de 150 milhões de euros.

No ‘Livro de Inovação no Retalho‘ pode encontrar pormenores sobre 80 das inovação desenvolvidas e implementadas pelas insígnias da Sonae. Projetos como o Transformar.te, do Continente, que pretende lutar contra o desperdício alimentar e que gerou três milhões de euros de benefícios económicos e nove milhões de euros em benefícios sociais, ou o Winners, da Worten, uma plataforma que permite que todos acompanhem não só o seu próprio desempenho, mas também o dos seus colegas e das lojas e dos objetivos a atingir, e que permitiu um “aumento das vendas em 1% e a diminuição da percentagem de colaboradores menos motivados em 45%”. Há, ainda, o Jindo Burel, da Berg, que levou ao desenvolvimento de uma sapatilha inovadora e ecológica, composta por materiais 100% naturais, recicláveis e autóctones como o burel e a cortiça.

“A inovação é um dos pilares da estratégia da Sonae, pois permite-nos cumprir a missão de melhorar a vida das pessoas. As nossas equipas, em conjunto com a sua vasta rede de parceiros a nível mundial, trabalham todo os dias para antecipar e responder às necessidades dos clientes, criando novos produtos, serviços e soluções, mas também procurando novas formas de fazer as suas funções de modo mais fácil e eficaz. Isto só é possível pela cultura de inovação e melhoria contínua da Sonae e pelo forte investimento realizado a nível financeiro e de dotação de recursos humanos, que estão bem patentes no Livro de Inovação no Retalho de 2017”, destaca, no comunicado, Head of Innovation and Future Tech da Sonae, Nuno Lopes Gama.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Inovação. Sonae investiu 105 milhões no retalho