Tecnologia

Sonaecom efetiva venda da WeDo

WeDo Technologies
Rui Paiva, presidente executivo da WeDo Technologies. Foto: D.R.

A venda tem um impacto positivo nos resultados consolidados da empresa de cerca de 6,2 milhões

A Sonaecom tornou efetiva a venda da WeDo Consulting – Sistemas de Informação, negócio que terá um impacto positivo nos resultados consolidados da empresa de cerca de 6,2 milhões de dólares, foi anunciado em comunicado.

A Sonaecom “informa que, na presente data e através da sua subsidiária Sonae Investment Management – Software and Technology, SGPS, S.A., se tornou efetiva a alienação da totalidade do capital social e dos direitos de voto da sociedade WeDo Consulting – Sistemas de Informação, S.A., anunciada a 10 de julho de 2019, uma vez que se verificaram as condições estipuladas pelas partes”, lê-se no comunicado enviado na terça-feira à noite à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Estima-se que esta transação represente um impacto positivo nos resultados consolidados da Sonaecom de cerca de 6,2 milhões de dólares [5,5 milhões de euros ao câmbio de hoje], calculado por referência à presente data e baseado na componente fixa do preço, havendo ainda 27 milhões de dólares (USD) de ‘earn-out’ [quando o comprador condiciona parte do pagamento ao alcance de metas futuras].

Em 10 de julho, a Sonaecom informou que tinha acordado a alienação, de forma condicionada, da WeDo Consulting à Mobileum, referindo que a concretização da transação dependia da verificação de requisitos determinados pelas partes.

O preço de transação tem uma componente fixa de 70 milhões de dólares (62 milhões de euros) e uma componente diferida e variável, conforme a evolução do negócio até 31 de dezembro de 2021, com um valor máximo de 27 milhões de dólares, detalhou-se no texto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, primeiro-ministro português, em Bruxelas. EPA/CHRISTIAN HARTMANN / POOL

O que já se sabe que aí vem no Orçamento para 2020

A coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Os 0,3% que acabaram com a paz entre função pública e governo

Marcelo Rebelo de Sousa, Christine Lagarde e Mário Centeno. Fotografia: MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

Centeno responde a Marcelo com descida mais rápida da dívida

Outros conteúdos GMG
Sonaecom efetiva venda da WeDo