Espaço

SpaceX vai despedir 10% dos funcionários

REUTERS/Joe Skipper
REUTERS/Joe Skipper

A SpaceX está prestes a reduzir o seu número de funcionários em 10%. A empresa refere que está a atravessar momentos de forte pressão financeira.

A notícia de que a empresa de Musk está a atravessar um período financeiro atribulado foi avançada pelo jornal Los Angeles Times e, entretanto, já confirmada pela SpaceX. A empresa, que até tem conseguido alguns sucessos com os testes feitos nos últimos tempos, conta com seis mil trabalhadores, segundo o site da empresa.

Leia também | As incríveis promessas de Elon Musk para 2019, da Tesla ao espaço

Através de um comunicado, enviado ao site norte-americano The Verge, a SpaceX refere que “para se ser bem-sucedido no desenvolvimento de uma nave espacial interplanetária é preciso ser uma empresa mais económica”.

Além disso, a empresa reconhece que isto significa que irá despedir-se de “alguns membros talentosos e esforçados” da equipa, explicando também que “esta ação só acontece devido a desafios extraordinariamente complexos”. Se a empresa quiser mesmo reduzir a sua estrutura de trabalho em 10%, poderá tratar-se do despedimento de 600 trabalhadores.

Leia também | Estas empresas querem colocá-lo a fazer turismo no Espaço

Segundo o Wall Street Journal, a SpaceX terá receitas anuais na ordem de 2,5 mil milhões de dólares – embora estes valores não sejam completamente exactos. A questão é que a investigação espacial feita é cara – com outras empresas do mesmo setor a já sentirem algumas dificuldades financeiras.

No último ano, a SpaceX já conseguiu uma fonte extra de receita, com o contrato com o milionário japonês Yusaku Maewaza, que vai ser o primeiro turista espacial da empresa.

Veja mais sobre tecnologia em insider.dn.pt

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
SpaceX vai despedir 10% dos funcionários