Energia

Standard & Poor’s mantém ‘rating’ de longo prazo da EDP em ‘BBB-‘

EDP

Para a elétrica, classificação “tem por base a expetativa da S&P da redução contínua do nível de endividamento em linha com o recente plano estratégico anunciado para 2019-2022”.

A agência de notação financeira norte-americana Standard and Poor’s (S&P) manteve hoje o ‘rating’ de longo prazo da EDP em BBB-, com perspetiva estável, divulgou hoje a elétrica.

De acordo com um comunicado da EDP enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), “a Standard & Poor’s Global Ratings afirmou hoje a notação de ‘rating’ de longo prazo da EDP – Energias de Portugal, S.A. e da EDP Finance B.V. em ‘BBB-‘”.

“Ao mesmo tempo, afirmou a notação de ‘rating’ de curto prazo em ‘A-3′”, pode ler-se no comunicado ao mercado.

“O ‘outlook’ [perspetiva] é estável”, acrescenta a EDP.

Para a elétrica, esta classificação “tem por base a expetativa da S&P da redução contínua do nível de endividamento em linha com o recente plano estratégico anunciado para 2019-2022”.

Já de acordo com um comunicado da S&P sobre o ‘rating’ da EDP, “o novo plano estratégico, que dedica oito mil milhões de investimento a renováveis, destaca a ambição da EDP para acelerar o crescimento neste segmento”.

A agência classifica o plano de financiamento do investimento, através da rotação de ativos, como “agressivo”, mas “tem em conta o forte registo da EDP em assegurar as rotações de ativos de uma maneira atempada”.

A S&P diz ainda que se a EDP “vender parte das suas atividades de distribuição ibéricas”, a agência “provavelmente” iria rever em baixa o grau de investimento da elétrica nacional.

No comunicado da S&P, a agência de notação financeira diz que os resultados da elétrica “ficaram abaixo” das suas expetativas, sobretudo devido performance “mais fraca do que o esperado na produção de energia renovável e convencional”.

Apesar de manter os ‘ratings’ em BBB- e A-3, a S&P salienta que “há espaço limitado no nível de ‘rating’ atual”, e que subidas na notação estão “distantes nos próximos dois anos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Standard & Poor’s mantém ‘rating’ de longo prazo da EDP em ‘BBB-‘