aquisição

Startup portuguesa comprada pela americana Velocidi

David Dunne, CEO da Velocidi (à direita), assinou o contrato de compra da ShiftForward, de Paulo Cunha, na incubadora de empresas " Founders Founders". Fotografia: Ivo Pereira/Global Imagens
David Dunne, CEO da Velocidi (à direita), assinou o contrato de compra da ShiftForward, de Paulo Cunha, na incubadora de empresas " Founders Founders". Fotografia: Ivo Pereira/Global Imagens

A ShiftForward foi adquirida por um valor superior a três milhões de euros

A ShiftForward, startup portuguesa que desenvolve soluções tecnológicas de gestão de dados, foi comprada pela Velocidi, empresa americana de marketing digital. O valor do negócio é confidencial, mas foi possível apurar que ultrapassou os três milhões de euros. A startup portuguesa passa a designar-se Velocidi, mantém a sede no Porto, e vai duplicar o número de colaboradores.

Como avança Paulo Cunha, ex-presidente executivo da ShiftForward e agora diretor de produto da Velocidi, “ao integrarmos a equipa da Velocidi vamos não só ser capazes de enriquecer os nossos produtos e serviços, de modo a torná-la na primeira plataforma de dados no mercado que agrega dados de consumidores e de publicidade digital, como continuar a reter talento português e a manter a nossa estrutura no Porto”.

A Velocidi desenvolve serviços de marketing digital para empresas como Mattel, Heineken, Publicis, Nielsen, BMW/Mini e Samsung.

  • David Dunne, fundador e presidente executivo da Velocidi, diz em comunicado que “os timings desta fusão não podiam ser melhores. Os gestores de negócio e os marketeers têm acesso a volumes de dados sem precedentes e juntos preparamos esses dados para que sejam tomadas as melhores decisões de marketing.
  • A ShiftForward, surgiu, em 2011, como uma consultora especializada em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia de anúncios. Como referiu Paulo Cunha, o negócio esteve sempre direcionado para os mercados externos. A startup angariou clientes em França, Alemanha e Reino Unido.

Em 2014, a ShiftForward abriu o capital à Portugal Ventures e aos business angels Florian Heinemann e Brian Fitzpatrick. O negócio expandiu-se e a startup lançou uma plataforma de gestão de dados que permite aos profissionais de marketing reunir, analisar e ativar os dados dos consumidores em públicos-alvo e usá-los de forma segura para publicidade.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Outros conteúdos GMG
Startup portuguesa comprada pela americana Velocidi