Turismo

Turismo: Startups estrangeiras recebem investimento para virem para Portugal

MANUEL FERNANDO ARAÙJO/LUSA
MANUEL FERNANDO ARAÙJO/LUSA

Três startups estrangeiras vão desenvolver os seus negócios em Portugal. Recebem investimento de 300 mil euros.

O Turismo de Portugal e a Portugal Ventures (sociedade pública de capital de risco), no âmbito do primeiro concurso mundial da Organização Mundo do Turismo (OMT) para startups do setor, escolherem três empresas estrangeiras para desenvolverem o seu negócio em território português. A FreeBird Club, da Irlanda, a e-bot, da Alemanha, e a Pruvo, de Israel vão receber um investimento de 300 mil euros para desenvolverem as suas soluções e vão ter ao seu dispor as instalações do Centro de Inovação do Turismo, na Covilhã, para trabalharem, nota o Turismo de Portugal em comunicado enviado às redações.

“Portugal foi o único país com o estatuto de Invest Partner da OMT neste concurso, no qual participaram mais de três mil startups de 132 países. As três startups selecionadas terão agora de estabelecer a sua base operacional em Portugal e a Portugal Ventures irá disponibilizar todo o apoio e acompanhamento para a concretização dos projetos”, refere o Turismo de Portugal.

Um dos pontos da Estratégia Turismo 2027 – lançada pelo governo – é tornar Portugal como um hub internacional especializado em turismo. O apoio a startups, nomeadamente através desta iniciativa, é mais um passo nessa direção, nota o Turismo de Portugal. “Nos dois últimos anos foram apoiadas mais de 600 startups em 25 programas de aceleração por todo o país, representando um investimento superior a dois milhões de euros”.

A firma irlandesa tem uma plataforma que está destinada a um público mais sénior e que permite aos membros da mesma “viajar e ficar alojado junto de outros seniores, com os objetivos de contribuir para a mitigação do isolamento, da solidão e da insegurança financeira e para colmatar a falta de opções de viagem para este público-alvo”. Já a e-bot é uma solução voltada para os profissionais do setor, que através de inteligência artificial, analisa mensagens “e oferece aos agentes sugestões de resposta com níveis de precisão elevados, aumentando a eficiência dos serviços através da automatização de respostas a perguntas”. Por fim, a israelita Pruvo “é uma solução gratuita que, através do tracking de uma reserva online já realizada, de hotel ou agência de viagem, alerta o consumidor final de ofertas mais vantajosas relativas a essa reserva”.

Ana Mendes Godinho em comunicado indica que “a estratégia que temos estado a desenvolver para afirmar Portugal como líder na inovação no turismo está a dar resultados”. A secretária de Estado do Turismo nota ainda que estas três startups estrangeiras que vêm para Portugal para desenvolver os seus produtos num altura em que “vamos reforçar o orçamento dedicado à inovação no turismo em 50% para 1,5 milhões de euros”.

Já a CEO da Portugal Ventures defende que a vinda das empresas para Portugal “é uma enorme oportunidade” para todas as entidades. “Trata-se de uma porta aberta para projetos turísticos maduros, promovidos por empreendedores estrangeiros, que desenvolvem as suas startups em ecossistemas internacionais. A captação destes projetos para Portugal é muito importante para afirmar o país no ecossistema global do empreendedorismo, trazer inovação para a oferta turística do nosso país e reforçar a competitividade das empresas do setor”, acrescenta Rita Marques.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Pedro Amaral Jorge, presidente da APREN
(João Silva/Global Imagens)

APREN. Renováveis contribuem com 15 mil milhões de euros para o PIB

Outros conteúdos GMG
Turismo: Startups estrangeiras recebem investimento para virem para Portugal