Resultados

Subida dos preços do petróleo afunda lucros da Emirates

O Boeing 777-300ER da Emirates fará a ligação entre o Porto e o Dubai. Fotografia:  Rafael Marchante/Reuters
O Boeing 777-300ER da Emirates fará a ligação entre o Porto e o Dubai. Fotografia: Rafael Marchante/Reuters

A subida dos preços do combustível e as flutuações cambiais adversas afundaram os lucros da Emirates Airline para 54,8 milhões no segundo semestre.

Os lucros da Emirates Airline deslizaram 86% no primeiro semestre do ano fiscal 2018/2019, fixando-se nos 54,8 milhões de euros. Os resultados explicam-se pela subida de 37% nos preços do petróleo e pelos movimentos cambiais desfavoráveis em alguns mercados, além de outros desafios que foram sendo impostos à companhia aérea e ao setor da aviação.

Apesar dos resultados, o crescimento manteve-se estável, quando comparado com o mesmo período do ano passado, refere o Grupo Emirates em comunicado. No segundo semestre a companhia aérea transportou 30.1 milhões de passageiros, depois de ter aumentado a capacidade em 3%.

Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, chairman e CEO da Emirates, congratulou-se com os resultados da empresa e explicou que a redução dos lucros se deveu ao “custo elevado do combustível e à desvalorização da moeda em mercados como a Índia, o Brasil, Angola e o Irão”.

“Os próximos seis meses vão ser difíceis, mas as bases do Grupo Emirates continuam fortes. Congratulo-me por saber que a nossa sede no Dubai continua a ser um destino de viagem atrativo. Esperemos que a procura continue estável, à medida que a cidade se prepara para a Expo Dubai 2020”, sublinhou.

No conjunto do Grupo Emirates, os lucros caíram 53% para os 262 milhões de euros no mesmo período. Por outro lado, as receitas subiram 10% no período homólogo para os 3,1 mil milhões de euros, resultados influenciados pela subida de 37% nos preços do petróleo e pelos movimentos cambiais desfavoráveis em alguns mercados, além de outros desafios que foram sendo impostos à companhia aérea e ao setor.

O CEO referiu ainda, em comunicado, que a empresa está focada em manter o negócio através da implementação de novas tecnologias, processos de negócio e capitalização de oportunidades, além do compromisso em servir os passageiros com os melhores produtos.

Durante o mesmo período, a Emirates recebeu oito novos aviões, incluindo três Airbus A380 e cinco Boeing 777s, com uma encomenda de mais cinco aviões até março de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Boom de queixas contra agências imobiliárias

Huawei | 5G | Redes 5G

Google suspende negócios com a Huawei. Milhões de smartphones afetados

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Subida dos preços do petróleo afunda lucros da Emirates