calçado

Sucesso dos sapatos personalizados obriga Undandy a construir fábrica

Rafic Daud, cofundador e CEO da Undandy. Fotografia: DR
Rafic Daud, cofundador e CEO da Undandy. Fotografia: DR

Startup fundada em 2015 vai investir um milhão numa fábrica própria em São João da Madeira para responder ao aumento das encomendas

A Undandy, startup que fabrica sapatos personalizados, vai construir uma nova fábrica em São João da Madeira. O investimento de um milhão de euros arranca em setembro e criará 25 empregos. A empresa pretende fabricar 200 pares de sapatos por dia e responder ao aumento de encomendas registado nos últimos meses, anuncia Rafic Daud, líder da Undandy, em declarações ao Dinheiro Vivo.

“Estamos num processo de construção de uma unidade de produção independente. Vamos arrancar o projeto em setembro, para deixar esta fábrica pronta a produzir sapatos até ao final do ano. É uma unidade de produção completamente independente, que vai trabalhar exclusivamente para a Undandy”, detalha Rafic Daud via telefone.

A razão é o forte crescimento das encomendas nos últimos meses, que obrigaram a dilatar o tempo de espera das encomendas.

“Temos assistido a uma multiplicação das nossas vendas nos últimos seis meses, e com possibilidades de crescimento da mesma dimensão nos próximos meses e anos. Precisamos de assegurar a capacidade de produção para dar vazão às encomendas que temos. O tempo de espera tem aumentado ligeiramente”.

Até a fábrica ficar pronta, os sapatos da Undandy, que podem ser oferecidos em 156 mil milhões de configurações diferentes, continuarão a ser produzidos numa outra fábrica em São João da Madeira, “em parceria com um fabricante do norte do país”.

Ainda assim, a construção da nova fábrica poderá não ser uma solução muito duradoura, admite Rafic Daud.

“Esta é uma solução de curto e médio prazo porque não podemos estar a comprometer o nosso crescimento. Isto não quer dizer que no espaço de um ano ou ano e meio não estejamos a equacionar uma solução diferente. Com 200 pares de sapatos, conseguimos assegurar a produção até final de 2018. Isto dá-nos tempo para trabalhar em soluções mais escaláveis.”

A Undandy vai investir um milhão de euros na nova fábrica, o mesmo montante gasto desde a fundação da empresa. Esta operação poderá ser financiada “através de capitais próprios, de um modelo de parceria ou do apoio de alguns fundos”.

Novo escritório em Lisboa

As mudanças nesta startup não ficam por aqui. Com 14 pessoas num pequeno escritório nas Amoreiras e a “continuar a contratar”, será necessário arranjar um novo espaço em breve. “Vamos mudar de escritório em Lisboa durante este semestre”, adianta o líder da empresa de calçado.

A Undandy conta com uma equipa de 40 pessoas e vende para mais de 60 países, como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Canadá e Austrália. Ao mesmo tempo, começam a surgir outros mercados, como Paquistão e Israel. Mais de 99% das vendas são feitas para o exterior.

Para reforçar estes números, a empresa vai apresentar um novo portal, “que permitirá ver e configurar os sapatos em três dimensões”. Esta página terá quatro idiomas e será lançada nos próximos meses.

Com o potencial aumento das vendas proporcionado pela construção da nova fábrica e a calçar cada vez mais clientes em todo o mundo, a empresa espera atingir o equilíbrio financeiro (breakeven) já no final de 2018.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Emmanuel Macron, Pedro Sanchez, Angela Merkel, Donald Tusk, Jair Bolsonaro e Mauricio no G20 de Osaka, Japão, 29 de junho de 2019. Fotografia: REUTERS/Jorge Silva

Vírus da guerra comercial já contamina acordo entre Europa e Mercosul

Fotografia: Armando Babani/ EPA.

Sindicato do pessoal de voo lamenta “não atuação do Governo” na Ryanair

O presidente da China, Xi Jinping, fez uma visita de Estado a Portugal no final de 2018. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Angola e China arrastam exportações portuguesas. Alemanha e Itália ainda não

Outros conteúdos GMG
Sucesso dos sapatos personalizados obriga Undandy a construir fábrica