aviação

Super-aviões da Airbus e Boeing com encomendas canceladas

Fotografia: REUTERS/Stefan Wermuth
Fotografia: REUTERS/Stefan Wermuth

Boeing e Delta mantêm encomendas para aviões de menores dimensões até 2019

Airbus e Boeing estão a enfrentar problemas com as encomendas dos respetivos super-aviões. No caso dos franceses da Airbus, foi adiada por dois anos a entrega de 12 aviões à Emirates; no caso dos norte-americanos da Boeing, a Delta cancelou a encomenda de 18 aviões 787 “Dreamliner”, adianta esta quarta-feira a imprensa internacional.

A fabricante francesa reafirmou o compromisso de entregar 12 aviões A380 por ano a partir de 2018, ou seja, um ano e meio depois da data inicial (julho 2016). “Vamos acelerar as medidas de redução de custos de forma que o impacto seja mínimo”, refere o comunicado da Airbus, citado pela Reuters.

A Emirates vai receber os seis primeiros A380 entre 2017 e 2018 e os restantes entre 2018 e 2019, na sequência de um acordo entre a fabricante de motores Rolls Royce e a Emirates e entre a companhia do Médio Oriente e a Airbus.

Na semana passada, a companhia Iran Air cancelou a encomenda de 12 A380.

Lançado em 2007, o superjumbo da Airbus é um gigante de dois andares com capacidade para 650 passageiros e que tem sido um flop de vendas. O desenho e a produção do superjumbo custou 22 mil milhões de euros e a construtora aeronáutica europeia previa vender 1200 aviões deste modelo só nos primeiros dez anos. Mas a década está no fim e, afinal, o maior avião comercial do mundo apenas teve encomendas para um total de 193 unidades.

No caso da Boeing, a Delta cancelou a encomenda de 18 aeronaves que tinha sido realizada em 2008 no âmbito da fusão com a Northwest Airlines por necessidade de gerir “com prudência” as suas necessidades. Esta ordem estava avaliada em 4,04 milhões de dólares (3,867 milhões de euros), a preços de catálogo. A Delta já tinha adiado para 2020 a entrega destas aeronaves.

Ainda assim, as duas empresas norte-americanas mantêm o calendário para entrega de aviões mais pequenos, os 737-900ER, que serão entregues até 2019. “A Delta é um dos maiores operadores mundiais de aviões da Boeing e a nossa valiosa associação com a fabricante vai manter-se forte”, referiu Greg May, vice-presidente sénior para gestão de frota da Boeing, em comunicado citado pelo Expansión.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fundadores da Uniplaces na inauguração da nova sede, em 2016. Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Forbes: Fundadores da Uniplaces nos melhores sub-30 da Europa

Fernando Ulrich, presidente do BPI

Aumentos de capital na banca: A “destruição colossal” de 35 mil milhões de euros

Ricardo Salgado à saída do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) em Lisboa onde foi interrogado e constituido arguido no âmbito da Operação Marquês, Lisboa, 18 de janeiro de 2018. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Ricardo Salgado impedido de se ausentar para estrangeiro e de contactar arguidos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Super-aviões da Airbus e Boeing com encomendas canceladas