aviação

TAP com prejuízos 118 de milhões em 2018

Presidente executivo da TAP Antonoaldo Neves durante apresentação dos resultados de 2018 em Lisboa, 22 de março de 2019. NUNO FOX/LUSA
Presidente executivo da TAP Antonoaldo Neves durante apresentação dos resultados de 2018 em Lisboa, 22 de março de 2019. NUNO FOX/LUSA

A companhia aérea teve prejuízos de 118 milhões de euro no ano passado.

Os alertas já tinham tido eco na imprensa e esta sexta-feira a apresentação de resultados confirmou. A TAP teve prejuízos líquidos de 118 milhões de euros. No ano passado, o grupo tinha registado um resultado líquido na ordem dos 21 milhões de euros, sendo que a TAP tinha tido lucros na casa dos 100 milhões.

Destes 118 milhões de euros de prejuízos, 95 milhões de euros são relativos a custos extraordinários e não recorrentes. A empresa foi também impactada por um aumento do preços dos combustíveis. O preços do combustível aumentou 32%.

No ano passado, a TAP cancelou 2490 voos. Os custos extraordinários ascenderam a 41 milhões de euros, sendo que 22 milhões de euros foram usados no pagamento de indemnizações extraordinárias e 19 milhões de euros para fretamentos extraordinários de aviões não TAP.

“2018 foi um ano extremamente desafiante para a TAP”, disse Antonoaldo Neves, CEO da TAP, na conferência de imprensa de apresentação de resultados. As receitas da empresa aumentaram 9,1% para 3.251 milhões de euros. No ano passado, foram transportados 15,8 milhões de passageiros. A receita das passagens aumentou 8,2% fruto do aumento da oferta e abertura de novos mercados.

No ano passado, a transportadora aérea conseguiu consolidar o mercado norte-americano, que já representa uma fatia importante para a empresa. O mercado europeu cresceu cerca de 11% para 9.647 milhões de euros, enquanto o mercado da América Latina expandiu 7% para 1.768 milhões de euros.

“A TAP não pode depender apenas de um mercado. Vamos acabar com a dependência de apenas um mercado. A TAP nunca lançou 17 novas rotas em apenas um ano. O ano passado a nossa equipa foi capaz de lançar 17 rotas. É extraordinário. Os resultados que vamos colher em 2019 foram lançados em 2018”, defendeu o CEO.

TAP é uma das mais pontuais

Atualmente, a “TAP é uma das empresas mais pontuais em Lisboa”. Mas nem sempre foi assim. O início de 2018 foi marcado por um grande número de cancelamento de voos e por conseguinte a empresa teve de fazer face ao pagamento de indemnizações. “Tudo começou com o reconhecimento público de que tínhamos um problema de pontualidade. Investimos profundamente para melhorar a pontualidade. Temos três aviões de reserva desde junho do ano passado”, disse o CEO.

Para combater esta questão, a empresa contratou cerca de uma centena de pessoas. “Este ano a pontualidade está bem, está consolidada. A pontualidade acumulada da TAP em 2019 está em 80%”. “A TAP é uma empresa que tem uma pontualidade boa, que está acima da média da pontualidade no seu hub”, localizado em Lisboa.

Ponte Aérea “é um sucesso”

A ponte aérea, que liga Lisboa ao Porto, “é um sucesso”. Antonoaldo Neves deixou claro que a remodelação desta ligação, realizada no ano passado, através da remodelação do tempo de rotação das aeronaves foi importante para o incremento da pontualidade da ponte aérea que está atualmente nos 89%.

“A ponte aérea não é só para quem vive em Lisboa. É também para turistas que querem visitar as duas cidades”.

(Notícia atualizada)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

Angela Merkel e Donald Trump. Fotografia: REUTERS/Kevin Lamarque

FMI corta crescimento da Alemanha, mas Espanha ainda compensa

Outros conteúdos GMG
TAP com prejuízos 118 de milhões em 2018