TAP com prejuízos de 365 milhões no primeiro trimestre

As receitas da companhia aérea caíram 74%, em termos homólogos, para 150 milhões de euros.

A TAP registou prejuízos de 365,1 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano devido ao reforço de restrições nos voos, ao novo confinamento e à depreciação do euro face ao dólar.

"Embora se tenham observado alguns sinais de recuperação da procura em janeiro, foram impostas restrições adicionais nos voos e à mobilidade das pessoas em fevereiro e em março nos países onde a TAP opera, que forçaram a empresa a ajustar a sua capacidade rapidamente", explica a TAP num comunicado com os resultados trimestrais, divulgado no domingo à noite no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

"Assim, em 31 de janeiro, a TAP anunciou a suspensão de cerca de 93% da sua operação durante o mês de fevereiro de 2021", salientou.

Os prejuízos registados nos primeiros três meses do ano comparam com o resultado negativo de 395 milhões de euros obtidos em igual período de 2020.

Os resultados da companhia no primeiro trimestre foram impactados por "diferenças de cambio líquidas" da ordem dos 109,8 milhões de euros, sobretudo devido à desvalorização do euro face ao dólar, segundo a transportadora aérea.

O EBITDA foi negativo em 104 milhões de euros, o que representa um agravamento face aos 21 milhões de euros negativos no primeiro trimestre de 2020. As receitas caíram 74%, em termos homólogos, para 150 milhões de euros.

Os rendimentos de passagens diminuíram 83% face aos primeiros três meses do ano passado. "O segmento da carga manteve a sua tendência positiva e continuou a ter um bom desempenho" no primeiro trimestre do ano, "com as receitas de carga a aumentarem 36%" em termos homólogos.

"A implementação de medidas de proteção de caixa, em conjunto com o empréstimo do Estado Português recebido em 2020, permitiram à TAP terminar o primeiro trimestre de 2021 com uma posição de caixa de 237,6 milhões (de euros)", refere a TAP. "Adicionando os recebíveis de cartões de crédito do Brasil, a liquidez total da TAP é de 255,9 milhões (de euros)" no final de março.

Quanto à dívida financeira bruta, aumentou 83 milhões de euros face ao quarto trimestre de 2020, "principalmente devido ao aumento de 63 milhões (de euros)" dos passivos de locação com opção de compra, face ao trimestre anterior.

Atualizada às 10H30 com mais informação

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de