aviação

TAP alarga Stopover para dar a conhecer os Açores

Foto: DR
Foto: DR

David Neeleman quer estender programa que atualmente só chega a Lisboa e Porto. Em Ponta Delgada com o apoio da JetBlue

As escalas prolongadas, que permitem aos passageiros da TAP vindos do Brasil e dos EUA conhecer Lisboa e Porto, também vão estender-se aos Açores. A intenção de alargar o stopover, um programa lançado em julho que oferece uma estada grátis de uma a três noites, foi adiantada por David Neeleman ao Dinheiro Vivo e será feita em parceria com a JetBlue.

“Boston é a 2100 milhas daqui, são quatro horas e meia. Eu quero falar com a JetBlue… claro que durante o verão existem muitas possibilidades, mas eu quero voar de inverno. Portugal e os Açores precisam de que as pessoas venham de novembro a abril. Esses são os meses em que nós realmente precisamos, em que a TAP precisa”, afirmou o acionista privado da TAP à margem do 28.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, que termina hoje em Ponta Delgada.

O que quer dizer? “Se eles tiverem voos de Boston para cá, então podemos ter um acordo para que os passageiros possam ter um stopover aqui [Açores], e depois levamo-los para Lisboa. Já temos o codeshare, que pode funcionar em qualquer lugar”, agora é estendê-lo, detalhou ao Dinheiro Vivo.

O programa de stopover está ativo desde julho e já comparticipou a estada de 30 mil turistas em Portugal – 10 mil no último mês. Com este plano, os visitantes prolongam as escalas em Lisboa e Porto entre 24 e 72 horas, antes de seguirem as suas viagens, contribuindo para um aumento do turismo no país. A TAP acredita que até final deste ano o programa possa chegar a 60 mil pessoas, à medida que mais norte-americanos começam a aderir – para já, a maioria dos que aproveitam são brasileiros.

Neeleman não avança datas para o novo plano, mas aponta uma preferência pela época baixa, porque “no verão tudo está cheio”. Isto significa que o alargamento do stopover pode chegar já para o próximo inverno. Há mais Açores nos planos do investidor. Para além de rotas, Neeleman quer também fazer “outras alterações”, como a quantidade de bagagem permitida, que a TAP quer aumentar para igualar o peso oferecido pela SATA.

Esta aposta é explicada pelas boas referências que o destino tem recebido internacionalmente – ainda nesta semana a Bloomberg falou dos Açores como o novo destino da moda – e os bons resultados que a TAP tem obtido. A abertura das novas linhas para Boston e Nova Iorque (JFK) – que se juntaram a Miami e Newark – permitiram um aumento da oferta de lugares de 92,4% na América do Norte. Foram mais 114 mil passageiros só neste ano.

Mas agarrar os turistas é o mais difícil. “70% dos passageiros que viajam com a TAP não param em Portugal.” É esse potencial que alimenta o reforço de rotas que a TAP prepara. Até 2018, a companhia aérea nacional prevê triplicar a oferta disponível, passando dos atuais 23

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

Angela Merkel e Donald Trump. Fotografia: REUTERS/Kevin Lamarque

FMI corta crescimento da Alemanha, mas Espanha ainda compensa

Outros conteúdos GMG
TAP alarga Stopover para dar a conhecer os Açores