TAP cresce 13% com 214 mil reservas em novas rotas e prevê melhor verão de sempre

Estão altos os voos da TAP. A companhia aérea nacional não para de crescer e, de acordo com os dados cedidos ao Dinheiro Vivo, tem já 214 mil reservas para os 11 novos destinos - Manaus, Belém, Bogotá, Panamá, Hanôver, Talin, Gotemburgo, Belgrado, São Petersburgo, Oviedo e Nantes - que abrem entre junho e julho. A primeira nova rota começa na terça-feira, com a inauguração do serviço Lisboa-Manaus-Belém, que completa a oferta da empresa no norte do Brasil.

O reforço, que será acompanhado por seis novos aviões, dará novo fôlego ao negócio da aviação liderado por Fernando Pinto, que tem crescido nos últimos anos sem aumento dos voos ou da frota disponível.

A TAP espera crescer 5% até final do ano face a 2013. No entanto, se tudo continuar como até aqui, poderá haver uma boa surpresa: é que até abril a TAP cresceu 8% e transportou 3284 milhões de passageiros, mais 240 mil do que nos primeiros quatro meses do ano passado.

E não é só. As novas rotas ainda não abriram e já estão a contribuir para o crescimento da empresa, o que eleva o número de reservas para mais 13% face às realizadas no mesmo período de 2013.

Para fazer face a este aumento, e ao bom verão que já antecipa, a TAP irá reforçar as equipas de trabalho e está a fazer planos de contigência que ajudem a escoar os passageiros de forma rápida e atempada. A última iniciativa da companhia nesse sentido foi a antecipação do período de check-in, das atuais 48, para 72 horas. O novo sistema poderá aliviar a pressão que ainda se sente nos dias de viagem, já que o check-in, para além de poder ser realizado nos balcões da empresa com a devida antecedência, poderá ser feito igualmente através da Internet, dispositivos móveis ou quiosques automáticos.

Mas não será só a TAP a ter um verão em cheio, será também o aeroporto de Lisboa. Em 2013, a ANA contou 17 milhões de passageiros de e para a capital e espera que o número cresça para 17,2 milhões em 2014, cada vez mais próximo da capacidade máxima da Portela, que ronda os 18 milhões de passageiros.

A contribuir para o maior tráfego em Lisboa estão as companhias tradicionais, que cresceram 11,1% e começam a concorrer com as low-cost, especialmente os segmentos mais baratos, que lhes fazem concorrência mais direta, como os da Transavia ou da Vueling.

O tráfego de abril é representativo: o aeroporto de Lisboa atingiu a marca dos 1,5 milhões de passageiros (+18,1%). A TAP mantém-se a primeira companhia de Lisboa, com 56,6% de quota de mercado.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de