exportações

Taylor’s regressa a Angola em parceria com a Atlanfina

Adrian Bridge é o CEO do grupo da Taylor's. Foto: D.R.
Adrian Bridge é o CEO do grupo da Taylor's. Foto: D.R.

O grupo The Fladgate Partnership, ao qual pertence a Taylor’s, fatura cerca de 80 milhões de euros/ano, com a venda de vinho do Porto.

A Taylor’s, uma das mais antigas casas de vinho do Porto, voltou a apostar no mercado angolano, cerca de oito anos depois de deixar o país devido às “convulsões do mercado”.

O regresso foi anunciado na semana passada pelo diretor de vendas internacionais, Fernando Seixas, que justificou a reentrada com os sinais positivos vindos de Angola.

“Desde há um ano, o mercado começa a dar sinais positivos de importação”, o que levou a Taylor’s a optar por reentrar em Angola, desta vez em parceria com a Atlanfina, a maior empresa de distribuição de vinhos portugueses no país e casa-mãe da Top Wines, liderada por António Lopes Alves.

Fernando Seixas avançou com alguns números demonstrativos das convulsões do mercado, referindo que “em 2014, Angola comprava 30 mil caixas de 12 garrafas de vinho do Porto, quatro anos depois esse número desceu para mil, ou seja, o mercado sofreu uma grande retração”.

A convulsão também se faz sentir em paragens como a Venezuela, onde a Taylor’s estava “muito bem há 15 anos” e hoje não consegue vender uma única caixa.

Assumindo a Taylor’s como “uma marca global”, presente em 120 mercados, o responsável da empresa diz que a marca tem vindo a reforçar a presença nos mercados lusófonos.

Neste momento, conta com uma quota de 22% no Brasil e está a recomeçar em Angola, afirmou, adiantando que o objetivo é “ser líder em valor” nos mercados onde está presente.

“Em Angola não temos quota, ainda fizemos a primeira importação agora, num valor de 25 mil euros”, continuou Fernando Seixas, estimando que corresponda a cerca de 5% do mercado atual.

“A ideia é crescer e o mercado angolano tem, sem dúvida, um forte potencial de crescimento”, acrescentou o mesmo responsável, sublinhando que a Taylor’s chegou a vender 150 mil euros em Angola.

“É um caminho que queremos voltar a percorrer”, realçou Fernando Seixas, embora admita receio face à entrada em vigor do IVA a 14% e o seu impacto nos preços.

O grupo The Fladgate Partnership, ao qual pertence a Taylor’s, fatura cerca de 80 milhões de euros/ano, com a venda de vinho do Porto, dos quais cerca de 50% com esta marca.

Segundo os dados mais recentes do Ministério da Agricultura, as exportações nacionais de vinho cresceram 2,5%, entre janeiro e julho deste ano, e o seu preço médio aumentou 5%.

O vinho do Porto aumentou as exportações acumuladas em 3,2% no volume e em 6,3% no valor, com um aumento do preço médio em 2,9% (de 4,65 euros por litro para 4,79 euros por litro).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

Outros conteúdos GMG
Taylor’s regressa a Angola em parceria com a Atlanfina