CES 2022: alguns dos gadgets mais interessantes da grande feira tecnológica

Carro-cópteros? Gatos robóticos que mordem os dedos? O CES Las Vegas 2022 não desiludiu com uma panóplia de gadgets capazes de levantar qualquer sobrolho

Há sempre uma mão cheia de dispositivos estranhos, surpreendentes ou incrivelmente úteis que aparecem nos corredores da grande feira de eletrónica de consumo CES, que terminou ontem em Las Vegas. Para lá dos maiores nomes da indústria, como Samsung, LG, Sony, Bosch, Panasonic e outros, são as startups e empresas mais pequenas que costumam apresentar muitos destes gadgets. Eis uma pequena incursão por algumas das inovações estranhas ou simplesmente interessantes da edição deste ano.

Um robô que morde

A Yukai Engineering introduziu um robô que parece um cão ou um gato de peluche e serve essencialmente para mordiscar o dedo do utilizador. Chama-se Amagami Ham Ham e recorre a algoritmos para aperfeiçoar o padrão das mordidas, de forma a não se tornar demasiado repetitivo.

Ok, mas porquê? O site da empresa, sediada no Japão, tem uma explicação simples: "O gesto encantador de quando os animais de estimação e as empresas gentilmente mordiscam o nosso dedo com os seus dentes pequenos. Infelizmente, temos de endurecer o coração e ralhar com eles por esse ato. O Amagami Ham Ham liberta toda a humanidade de tais dilemas."

A ideia é que este mordiscar conforta e faz sentir bem. O peluche robótico vai ser alvo de uma campanha de crowdfunding e deverá custar em torno de 30 euros quando for para as lojas.

Uma almofada com IA

A Zerema é uma marca de almofadas com inteligência artificial (IA), em que os algoritmos fazem uma adaptação personalizada ao corpo de quem está a dormir. Tem um "assistente de sono inteligente" para ajudar nesta customização: ajusta a altura da almofada depois de medir a pressão do corpo, levanta o pescoço para a pessoa parar de ressonar e recolhe dados para monitorizar a qualidade do sono. A empresa sul-coreana vende esta almofada por cerca de 300 euros.

Um tradutor imediato

O M3 da Vasco Electronics é um pequeno aparelho que consegue traduzir o que dizemos para 70 línguas em 0,5 segundos. A vantagem deste gadget europeu em relação a outras opções é que não tem limites de traduções nem necessidade de assinaturas. Com seis motores de tradução, baseados em inteligência artificial, a Vasco garante que a precisão do resultado atinge os 96%. Bónus: o aparelho consegue fazer traduções a partir de fotos e em chamadas telefónicas e tem um sistema de redução de ruido de fundo, para conversas que estejam a acontecer em lugares movimentados. O preço? 289 euros.

Um aparelho que faz Kegels

Concebido por uma engenheira, o Elitone é um pequeno dispositivo que se usa externamente e não só ajuda nos exercícios Kegels, fá-los pela utilizadora. Estes exercícios, que previnem e melhoram desordens do pavimento pélvico, são difíceis de fazer diariamente. A empresa, Elidah, garante que este é "o primeiro tratamento não intrusivo para perdas de urina." É uma espécie de wearable para o pavimento pélvico. Custa 399 dólares com preço especial, tendo um PVP de 495 dólares.

Um carro-cóptero francês

Com tantas empresas que surgiram nos últimos anos a desenhar conceitos de carros voadores, esta promete ser a primeira a ir realmente para o mercado. A Maca é uma startup francesa que foi ao CES mostrar o seu "carro-cóptero" S Eleven, que pretende lançar comercialmente em 2023. A sua vantagem, disse, é que usa células de combustível a hidrogénio e consegue oferecer voos mais longos. A assinatura desta startup é, apropriadamente, "o futuro está no ar."

Um trator autónomo

Sim, a John Deere fez mesmo isto. Lançou um trator autónomo e prometeu que estará disponível já no final de 2022. Segundo a gigante norte-americana, "o trator autónomo serve um propósito específico: alimentar o mundo." Seguindo a premissa de que haverá 10 mil milhões de habitantes na Terra em 2050 e a procura por alimentos vai crescer 50%, o trator permitirá acelerar o trabalho agrícola sem mão-de-obra.

O veículo tem seis pares de câmaras, com uma visão 360º de obstáculos e inteligência para cálculo de distâncias. As imagens são processadas por uma rede neural e o trator move-se dentro de uma área geográfica previamente definida. Para o usar, os agricultores só têm de o transportar para o campo e configurar a operação.

Um criador de modelos no Metaverso

Ainda nem sabemos bem onde fica o metaverso e já há maneira de criar modelos de passarela virtuais para ele. É o que faz a Lalaland.ai, uma startup que apresentou o Genesis Meta Model Creator no CES. Usando IA, o produto permite a marcas de moda, retalhistas e designers gerarem modelos virtuais, com todos os tamanhos, formas e tons de pele que quiserem. A ideia é que isto levará a "um aumento das conversões, menor taxa de devoluções e aumento da fidelidade do cliente." A Lalaland diz que este sistema é 80% mais rápido que o uso tradicional de fotógrafos e modelos.

Um candeeiro para disléxicos

A Academia de Medicina Francesa cedeu uma patente a esta tecnologia, cujo propósito é ajudar pessoas que sofrem de dislexia a ler melhor. Chama-se Lili e é um pequeno candeeiro portátil e ergonómico que permite "decifrar as palavras de forma imediata e mais fácil", reduzindo ao mesmo tempo o cansaço provocado por uma sessão prolongada de leitura. Tem uma app associada e está disponível por 349 euros.

A lancheira auto-aquecida

O que seria de uma feira de eletrónica sem uma lancheira que se auto-aquece? A Steambox vem dos Países Baixos e o conceito é premir um botão ou usar uma app para obter uma refeição quente em qualquer lado. A lancheira tem uma bateria que dá para aquecer até três refeições em quinze minutos através de vapor. A empresa garante que isto torna a comida mais saborosa do que se fosse aquecida no microondas. Além disso, vem com uma app que oferece receitas, monitoriza o consumo de calorias e pode ser usada para controlar o aquecimento da lancheira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de