Este será o avião híbrido-elétrico europeu que conta com tecnologia portuguesa

ISQ, INEGI e Almadesign são as entidades portuguesas a participar neste ambicioso projeto da União Europeia no setor da aviação em matéria de neutralidade carbónica, coordenado pela empresa Leonardo.

O futuro da aviação é verde. E um exemplo disso é a aeronave HERA, com uma dimensão de aproximadamente 50 a 100 lugares, para viagens de curto alcance em meados de 2030, em distâncias inferiores a 500 km (ligações regionais interurbanas), e uma propulsão híbrido-elétrica.

ISQ, INEGI e Almadesign são as entidades portuguesas a participar neste ambicioso projeto da União Europeia no setor da aviação em matéria de neutralidade carbónica, coordenado pela empresa Leonardo, e que conta também com a AIRBUS, DLR, Fraunhoffer, Honeywell, ONERA, Rolls Royce, Siemens, Safran, Thales, num total de 48 parceiros.

Trata-se do projeto HERA - Hybrid-Electric Regional Architecture, integrado no Programa Clean Aviation, da Comissão Europeia, que pretende definir o conceito e arquitetura-chave de uma aeronave regional híbrido-elétrica, bem como a identificação e desenvolvimento das tecnologias necessárias para satisfazer a meta estabelecida de redução de 50% das emissões de gases com efeito de estufa.

A cerimónia de apresentação do HERA decorre esta terça e quarta-feira em Nápoles, Itália. O projeto, que poderá reduzir a pegada ambiental até 90%, conta com financiamento de 35 milhões de euros e terá a duração de 48 meses.

A aeronave HERA incluirá uma "propulsão híbrido-elétrica baseada em baterias ou células de combustível como fontes de energia suportadas por SAF (Sustainable Aviation Fuel) ou combustão de hidrogénio para a fonte térmica, por forma a atingir até 90% de emissões mais baixas", explica o ISQ em comunicado. "Entre as tecnologias e configurações inovadoras a desenvolver destacam-se a distribuição elétrica à escala de alta tensão MW, gestão térmica, novo design de asa e fuselagem, bem como nova propulsão híbrido-elétrica e novo armazenamento relacionado com baixas emissões de gases de efeito de estufa."

O ISQ irá contrinbuir com o seu "conhecimento e experiência no desenvolvimento, simulação e teste de compatibilidade eletromagnética da instalação elétrica da aeronave. Fará ainda testes de validação da instalação na vertente de armazenamento e distribuição de hidrogénio tanto na aeronave como na infraestrutura aeroportuária, e ainda na definição/conversão do layout do aeroporto por forma a permitir uma operação segura e eficiente da aeronave regional híbrido-elétrica".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de