Estratégia da Oppo para Europa passa pelo consumidor jovem e aposta em "tecnologias diferenciadoras"

A tecnológica diz estar empenhada no mercado europeu, onde no ano passado registou um crescimento na ordem dos 200%. Estratégia passa também por um consumidor mais jovem, com "a ambição de não chegar só ao top 5" das marcas mais vendidas.

Maggie Xue, presidente da Oppo para a Europa Ocidental, afirma estar "confiante" da estratégia da empresa chinesa para o mercado europeu.

"Apesar de o último ano ter sido incrivelmente desafiador para muitos, todos nos apercebemos da importância que a tecnologia desempenha para estarmos ligados ao que importa", frisou a responsável, numa apresentação à imprensa.

A Oppo 'aterrou' na Europa em 2018 e, no ano passado, no mercado português. No total, a empresa indica que registou "um crescimento superior a 200%" em 2020 nos envios para Europa Ocidental. Apesar da pandemia global, a empresa expandiu-se no ano passado para mais quatro países além de Portugal: Irlanda, Bélgica, Roménia e Alemanha.

"O crescimento sem precedentes que a Oppo obteve na Europa em 2020 enche-nos de orgulho porque significa que estamos a oferecer produtos de classe mundial que vão muito além da satisfação das necessidades dos nossos clientes. Estabelecemos um objetivo ambicioso para os próximos anos de nos tornarmos um dos principais fabricantes na Europa e estamos convencidos de que iremos alcançá-lo. É a mesma ambição que estimula a verdadeira inovação, o progresso e os valores da nossa empresa", afirma Maggie Xue.

Mercados como Espanha, Itália, França, Reino Unido ou Holanda tiveram dos crescimentos mais acelerados. De acordo com dados da Counterpoint Research, a Oppo teve vendas "relativamente modestas na região, mas a quota de mercado duplicou ao longo do ano", notando também um "quarto trimestre de vendas forte".

A Oppo sublinha que "não é apenas uma marca de telefones", notando o portefólio noutras áreas, como os wearables, onde conta com relógios inteligentes e auriculares. A empresa garante que a "ambição não é só a de chegar ao top 5" das marcas mais vendidas na Europa - objetivo que "precisa de tempo", garante Maggie Xue. Com o objetivo de chegar ao consumidor mais jovem, a Oppo refere a importância de "diferenciar a proposta", nomeadamente através da tecnologia. Um dos pontos de diferenciação tantas vezes mencionado pela empresa tem sido a tecnologia de carregamento rápido, novos form factors ou a tecnologia de imagem.

Com três gamas de preço na área dos smartphones - Find X nos topo de gama; Reno Series na gama média e a Series A na entrada de gama - a presidente da Oppo para a Europa Ocidental aponta que a "área premium é um objetivo", mas que a empresa está "empenhada em todo o portefólio".

Outra das estratégias para o mercado europeu tem sido a ligação aos operadores de telecomunicações, com parcerias com empresas como a Vodafone, EE, Deutsche Telekom ou a Orange.

Google é empresa parceira

Questionada sobre se a guerra comercial entre EUA e China, que teve impacto na estratégia da Huawei, poderá ser uma preocupação para a Oppo, Maggie Xue indica que se trata de situações diferentes.

"A grande questão da Huawei é que está focada na parte das redes", referindo-se aos trabalhos de infraestrutura de rede de telecomunicações, nomeadamente no 5G.

Um dos desfechos do agudizar da guerra comercial foi a ausência de serviços da Google dos equipamentos mais recentes da Huawei. Xue detalha que a empresa não olha para a situação da Huawei "como uma vantagem" no espaço de vendas, apontando que "a concorrência é bem-vinda".

Afirmando que "não tem o mesmo tipo de preocupação que a Huawei", a tecnológica chinesa tem a Google e a Qualcomm como parceiras. Na campanha de chegada ao mercado português, que arrancou no segundo semestre, a Oppo destacava a disponibilidade de aplicações e serviços da Google em alguns dos seus anúncios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de