Grupo Novabase integrou 81 jovens talentos e garante que pandemia não alterou estratégia de recrutamento

Este ano o grupo Novabase integrou 81 jovens talentos, a maior parte para funções ligadas a desenvolvimento. A pandemia obrigou a adaptar a forma como se recruta mas não terá implicações nas próximas contratações, indica a empresa.

Através do programa Novabase Academy, focado no recrutamento de talentos na área das tecnologias de informação à saída das universidades, o grupo Novabase integrou este ano 81 recém-graduados. Estas dezenas de novos colaboradores foram integrados na Celfocus, a empresa do grupo que trabalha na área das telecomunicações e serviços financeiros.

Isabel Costa de Sousa, responsável da área de Talent Acquisition da Celfocus, explica que, apesar de a pandemia ter obrigado a adaptar alguns processos, tal não terá impacto na estratégia de recrutamento da empresa. "Aliás, nos próximos anos vamos investir fortemente na nossa pool de talento Digital e, neste momento, já estamos a oferecer programas de formação para recém-licenciados e a reforçar novas competências digitais junto de developers experientes", explica.

Em relação à integração de jovens talentos em tempos de pandemia, a responsável explica que foram necessárias algumas adaptações mas que "o contacto com as Instituições de Ensino seguiu o processo habitual."

"Aliás, temos uma proximidade muito grande e há já largos anos com algumas das principais Universidades do país, porque desde muito cedo entendemos que a ligação entre a academia e as empresas é fundamental para formar profissionais qualificados capazes de responder às exigências e competências do futuro", detalha.

Devido à pandemia, o grupo criou "um grupo de trabalho para adaptar aquilo que era o onboarding presencial para o onboarding remoto, criando novas estratégias e processos que pudessem conduzir ao sucesso do mesmo: desde o envio de um welcome email na semana anterior à integração do novo colaborador, a uma welcome session remota no dia da integração, ou a atribuição de um buddy (pessoa do projeto que vai ajudar na integração do novo elemento), virtual coffee breaks de equipa semanais (organizados pela própria equipa), envio de inquéritos após o primeiro mês para avaliação do processo de onboarding e reuniões mensais de equipa com o objetivo de dar a conhecer as novas admissões e resultados", explica Isabel Costa de Sousa.

Os processos de recrutamento também passaram a ser feitos integralmente online - "com todos os desafios que isso implica, mas também com novas possibilidade", explica a responsável.

"E, na verdade, a integração destes jovens talentos à distância foi mais fácil do que inicialmente previmos", resume Isabel Costa de Sousa, que destaca que o facto de estes jovens estarem habituados a plataformas e interações virtuais foi uma mais-valia.

O Instituto Superior Técnico, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e o ISCTE dominaram as colocações de jovens durante este ano. A maioria dos recrutados integrados através da Novabase Academy tem mestrado, seguindo-se a licenciatura como formação preferencial. Quanto a cursos, a maior parte dos talentos integrados tem formação em Engenharia Informática, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores e Engenharia Biomédica.

Desde o início do programa, em 2006, a Novabase Academy integrou mais de 1500 jovens na empresa.

"Atrair e captar talento qualificado continua a ser uma das nossas prioridades, mas também um dos nossos maiores desafios, e este programa revela-se fundamental para captar jovens em início de carreira, numa área em que a procura pelo melhor talento continua a ser uma realidade", explica a responsável.

"Numa altura em que a empregabilidade jovem assume uma importância crítica, é fundamental apoiá-los e dotá-los das ferramentas e conhecimentos necessários para que possam iniciar o seu percurso com sucesso", refere.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de