iPhone dispara: Apple volta a ser número um nos smartphones

Em Natal de pandemia, a Apple teve um trimestre explosivo e vendeu o maior número de iPhone de sempre nos últimos três meses do ano

Um desempenho impressionante das vendas do iPhone no último trimestre de 2020 catapultou a Apple de volta para o topo do mercado mundial, segundo números que a consultora IDC acaba de publicar. Na época natalícia e no período em que lançou os novos iPhones 12, a Apple disparou 22,2% em relação ao ano anterior e atingiu 23,4% de quota, mais 4,3 pontos percentuais que a Samsung.

"Em termos de fabricantes, houve uma clara mudança no top 5", escreveu a IDC no seu relatório. "A Apple obteve um desempenho fenomenal no quarto trimestre de 2020, regressando à posição número um com 90.1 milhões de unidades, impulsionada pelo sucesso dos iPhone 12."

A subida representa, segundo a IDC, "o maior volume de remessas de um fabricante num único trimestre."

Estes dados coincidem com o que a própria marca reportou esta quarta-feira, após o fecho do mercado em Nova Iorque. Embora já não forneça números absolutos para as unidades vendidas, a Apple superou todas as expectativas com um recorde de vendas no trimestre, alcançando 111,4 mil milhões de dólares. As receitas provenientes do iPhone subiram 17% para 65,6 mil milhões, o que foi bastante acima do consenso de previsões.

Sendo o primeiro smartphone 5G da Apple, havia a expectativa de que o iPhone 12 levaria a um superciclo de renovações e essa visão concretizou-se, apesar de todas as condicionantes de 2020.

Os bons resultados da Apple aconteceram no final de um ano volátil e que começara com grandes problemas ao nível da produção, já que esta é dominada pela China, onde o novo coronavírus parou a economia primeiro. Embora o mercado global tenha terminado o ano com uma quebra de 5,9%, a reviravolta dos meses finais, em que foram vendidos 385,9 milhões de smartphones e o segmento cresceu 4,3%, impediu um retrocesso ainda maior.

Os analistas mostram-se otimistas.

"O progresso em direção à recuperação do mercado tem sido impressionante e a IDC acredita que o momento em 2021 continuará forte", diz o relatório.

Top 5 das maiores fabricantes mundiais de smartphones, IDC Janeiro 2021

1º - Apple - 23,4%

2º - Samsung - 19,1%

3º -Xiaomi - 11,2%

4º - Oppo - 8,8%

5º - Huawei - 8,4%

Outras - 29,1%

Salvo a Huawei, que recuou 42,4% no trimestre, todas as fabricantes aumentaram as vendas na época natalícia. A Samsung despachou 73,9 milhões de smartphones, uma subida de 6,2%, e a Xiaomi vendeu 43,3 milhões, uma melhoria notável de 32%. A também chinesa OPPO vendeu 33,8 milhões (+10,7%) e o restante mercado recrudesceu 5%.

"Há muitos elementos em causa a alimentarem a recuperação do mercado de smartphones", explicou a diretora de pesquisa da IDC Nabila Popal. Vai desde o aumento da procura ao crescimento da produção de smartphones 5G, promoções agressivas e a popularidade dos smartphones de baixo e médio custo.

"Os fabricantes também parecem estar melhor preparados para o segundo confinamento, assegurando que têm o canal certo pronto para completar as encomendas e chegar ao consumidor final", adiantou a analista. "Os confinamentos têm levado as pessoas a gastarem menos em áreas como lazer, viagens e comer fora, e os smartphones estão a beneficiar disto." Por outro lado, acrescentou, a "rápida recuperação e resiliência da cadeia de fornecimento dos smartphones" também deve ser sublinhada.

A Huawei é a única que não conseguiu capitalizar nesta reviravolta, devido às sanções impostas pelos Estados Unidos e a incerteza quanto ao futuro. A marca caiu para a 5ª posição do ranking, com apenas 8.4% de quota.

"A recuperação tanto o mercado de smartphones como da cadeia de fornecimento tem sido verdadeiramente impressionante e o crescimento anual é testemunho do quão longe chegámos", frisou Ryan Reith, vice presidente do Worldwide Mobile Device Trackers. "A maioria do mundo está ou nalguma forma de confinamento ou à espera de regressar à vida normal, mas as vendas de smartphones recuperaram como se nada se tivesse passado." Tanto pelo sucesso do iPhone 12 como da popularidade da serie A da Samsung, que cresceu em todas as regiões, o mercado provou ser robusto numa altura improvável.

"Isto ilustra a importância dos smartphones no quotidiano de toda a gente e oferece uma forte fundação oara a procura no mercado", acrescentou Reith. "À medida que o mercado progride em direção a um ambiente pós-pandémico, a IDC acredita que a procura vai crescer e a recuperação do mercado irá acelerar."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de