Microsoft gasta 7,5 mil milhões em produtora de jogos. Qual é a estratégia?

Microsoft reforça aposta no mundo do gaming ao comprar a ZeniMax Media, por 7,5 mil milhões. É a terceira compra mais cara depois do LinkedIn e Skype

A Microsoft recompõe-se ao ficar pelo caminho na tentativa de compra do TikTok com uma compra que reforça a área de gaming. O anúncio foi feito pela própria Microsoft, em comunicado, e demonstra não só que o gigante norte-americano tem muito dinheiro no banco - vai pagar o valor na totalidade, sem recorrer à troca de ações ou a crédito -, mas também que a aposta na área de videojogos ganha agora uma nova dimensão para a dona da Xbox, ao comprar por 7,5 milhões de dólares (6,4 mil milhões de euros) a ZeniMax Media, dona da Bethesda Softworks.

Com 136,5 mil milhões de dólares (116 mil milhões de euros) disponíveis para gastar no banco - mais só mesmo a Apple, com 193,6 mil milhões de dólares (164,7 mil milhões de euros) -, a Microsoft não faz qualquer esforço de maior com a compra, que é a sua terceira maior de sempre. A maior aquisição foi em 2016 a do LinkedIn (26,6 mil milhões de dólares), seguindo-se o Skype (8,5) e, agora, a ZeniMax. Bem perto em valor está o GitHub (7,5), a divisão de telefones da Nokia (7,2) e a empresa de marketing digital aQuantive (6,3).

A Bethesda Softworks é a produtora de jogos como as populares séries The Elder Scrolls, DOOM, Wolfenstein e Fallout. E o que é que a Microsoft quer da empresa de videojogos, ao ponto de pagar um valor tão elevado? Não só ganha a possibilidade de estrear alguns dos jogos em exclusivo na Xbox, como de acordo com o que Phil Spencer, o líder da Xbox, ganha a possibilidade de expandir a área de jogos em multiplataforma e na cloud - a Xbox lançou recentemente o seu serviço de subscrição Game Pass.

"O plano passa por trazer experiências de gaming mais imersivas que trazem liberdade de jogar jogos populares com os amigos, em qualquer altura e em qualquer lugar", explica Phil Spencer num post do blog da Xbox, onde demonstra a importância dos jogos na cloud e em smartphones e companhia para a Xbox.

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, vai pelo mesmo caminho e explica: "esta aquisição, metaforica e literalmente duplica a nossa capacidade de conteúdos de jogos". A última série do jogo Elder Scrolls vendeu mais de 20 milhões de cópias e é um dos jogos mais vendidos de sempre. Quem fica preocupada é a Sony, que pode perder alguns dos jogos da Bethesda Softworks na PlayStation.

A nova geração de consolas Xbox da Microsoft é lançada em novembro, ao mesmo tempo que a PlayStation 5 da Sony. Os jogos anunciados até ao momento para a nova Xbox têm desapontado fãs e críticos, algo que pode mudar em breve com esta aquisição - o principal jogo, Halo Infinite, foi adiado para 2021. A Microsoft já tinha adquirido em 2014 o criador do popular jogo Minecraft, por 2,5 mil milhões de dólares e adquiriu seis estúdios de jogos em 2018 e um o ano passado.

A aposta no serviço de subscrição de jogos, Game Pass, será também reforçada com esta política de aquisições. Em abril eram 10 milhões de subscritores, algo que agora em setembro já subiu para os 15 milhões.

 

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de