Nova de Lisboa quer recriar Silicon Valley em Almada. "Um oásis sustentável de inovação"

No 19º episódio do Made in Tech falamos com José Ferreira Machado, vice-reitor da Universidade Nova de Lisboa e responsável pelo projeto apresentado esta semana que promete: Innovation District. O objetivo? "Tornar a área metropolitana de Lisboa a Silicon Valley europeia".

José Ferreira Machado é vice-reitor da Universidade Nova de Lisboa, onde coordena a área de Criação de Valor Social e Económico e é o responsável do novo projeto apresentado esta semana, Innovation District.

O economista esteve também na base do projeto da Nova SBE, em Carcavelos. Nesta entrevista fala também na preparação para a nova Faculdade de Medicina da Nova de Lisboa, também em Carcavelos. "Vamos fazer tudo de raiz e mudar inclusive a forma de ensinar medicina, com as melhores e mais modernas práticas que incluem ciência de dados e muito tecnologia para formar os médicos do futuro preparados para esse mesmo futuro", admite.

Já sobre o projeto em Almada à volta do campus do Monte da Caparica: "foi preciso chegar quase ao fim da carreira para ter o maior desafio de sempre".

Ouça e subscreva em: Apple Podcasts | Spotify | Google | Castbox

Aceda a todos os episódios do Made in Tech (sobre criptomoedas, guerra Austrália-Facebook com o pai do código australiano, Clubhouse, ciência na pandemia, impostos digitais com Margrethe Vestager, ensino à distância): dinheirovivo.pt/podcast/made-in-tech

Ferreira Machado foi diretor da Nova School of Business & Economics, de 2005 a 2015, e da Angola Business School, Luanda-Angola, de 2010 a 2015. Entre 1992 e 2015 foi consultor do Banco de Portugal. É doutorado em Economia pela Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, EUA, com Agregação em Estatística e Econometria pela Universidade Nova de Lisboa.

Sobre o Innovation District e a cidade de inovação "para todos" em Almada: Investimento inicial maioritariamente europeu e de investidores privados é de 800 milhões de euros e promete criar nos próximos anos 17 mil postos de trabalho, mil novos fogos, trazer 4500 novos habitantes para a zona. Além disso, além dos estudantes e investigadores, todas as pessoas, bem como startups e empresas de inovação "estão convidadas a viver e experienciar a nova cidade com conhecimento e tecnologia, moderna e sustentável onde todos querem trabalhar, aprender e viver". Pode ler o artigo completo sobre o tema:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de