Reclamações ligadas a comércio e tecnologia subiram 168% no início do ano

Dados do Portal da Queixa dão conta de uma subida de 168% nas queixas ligadas à categoria de comércio e tecnologia nos primeiros meses de 2021.

A análise do Portal da Queixa aponta que, até dia 23 de fevereiro, tinham sido contabilizadas 2611 reclamações dirigidas à categoria e Comércio e Tecnologia, uma subida de 168% comparando com o período homólogo de 2020. Nessa altura, tinham sido contabilizadas 957 reclamações.

No total de 2020, o número de queixas ultrapassou os 11 500, uma subida de 138%. Em 2019 o volume de queixas tinha sido significativamente mais baixo, com 4 840 reclamações feitas na plataforma.

Atrasos nas entregas, falta de apoio ou resposta e questões ligadas a reparação de produtos lideram os motivos de reclamação. No total de 2020, os atrasos nas entregas de equipamentos representaram 42% do volume de queixas, seguido por 17,6% para falta de apoio ou resposta.

O Portal da Queixa nota um aumento do número de queixas ligados aos marketplaces e marcas. Em 2020, foram contabilizadas 241 reclamações sobre este tema. Já este ano foi notória uma subida do número de queixas ligadas aos marketplaces, com 68 queixas apresentadas até dia 23 de fevereiro.

Pela análise do Portal da Queixa, a Worten é a marca com maior volume de reclamações nesta plataforma (mais de 3 700 queixas). Em termos de variação anual, a maior subida foi contabilizada pela Fnac, que viu as reclamações passar das 497 em 2019 para as 891 em 2020, uma variação de 119%.

Marcas como a Rádio Popular ou a Media Markt também integram esta tabela, com 994 e 378 reclamações, respetivamente.

Já em termos de índice de satisfação, o indicador que expressa de forma objetiva o desempenho das marcas no Portal da Queixa com base na solução e satisfação com os utilizadores que efetuaram reclamações, a Worten tem a melhor pontuação (80.2 em 100). Já a Media Markt tem a menor pontuação neste índice (24.6 em 100).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de