Ricardo Mexia e Filipe Froes sobre a pandemia. "Governo devia ouvir os especialistas e a ciência"

No 3º episódio do podcast Made in Tech falamos sobre a pandemia e como ciência e tecnologia estão (e irão) fazer a diferença com os especialistas mais concorridos da atualidade: Ricardo Mexia e Filipe Froes. Não faltam críticas ao governo, explicações sobre as novas vacinas e surpresas positivas e negativas em tempos de pandemia.

Neste episódio do Made in Tech contamos com um conjunto de especialistas portugueses que têm surgido nos noticiários diariamente por causa da pandemia. Falámos de tecnologia e ciência em tempos de pandemia com Ricardo Mexia e Filipe Froes.

No caso de Ricardo Mexia, é médico de Saúde Pública e epidemiologista, professor e presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, entre outros cargos.

Aos 11 minutos do podcast pode ouvir as suas críticas ao governo por não ouvir os especialistas:

"O governo ouve quem entende ouvir, mas de facto não tem ouvido nem os representantes dos profissionais nem a academia, ou seja, isso não tem acontecido. Desde o início, aliás. O que até contrasta com o que tem acontecido agora com a task force de vacinação, tem tido essa preocupação de reunir com as associações profissionais e numa lógica de partilhas os desenvolvimentos, mas recolher os contributos e aí tem sido um diálogo frutuoso. Mas a nível central isso não tem acontecido."

"Acho que é fundamental que quem quer que seja que tome decisões ouça os especialistas e tome decisões baseadas na ciência. Tem havido uma grande mistura entre o papel dos técnicos e o papel político, mas isso para mim deve ser clarificado. E é legítimo que quem foi eleito para cargos públicos tome decisões que não são necessariamente alinhadas com os cientistas e técnicos, mas isso tem é de ser transparente. Aliás, já o fez quando logo na fase inicial o Conselho Nacional de Saúde Pública não recomendava o fecho das escolas e o governo as fechou."

(Pode seguir-nos nos podcasts da Apple ou no Spotify - faça comentários ou sugira novos convidados)

Filipe Froes é médico pneumologista (PhD), investigador da Nova de Lisboa e coordenador do gabinete de crise covid-19 da Ordem dos Médicos e consultor da Liga Portuguesa de Futebol.

É ainda assistente hospitalar graduado de pneumologia, coordenador da Unidade de Cuidados Intensivos Médico-Cirúrgicos do Hospital Pulido Valente, consultor da Direção Geral da Saúde, membro da Task Force para a pandemia a SARS-CoV-2 e membro do Conselho Nacional de Saúde Pública

O responsável, que já foi vacinado, explica com pormenor porque as novas vacinas foram feitas em tempo recorde e como os novos métodos utilizados podem ser determinantes para novas descobertas na ciência.

Fala ainda do início do ano negro em termos de números de internamentos, de mortes e novos casos - que só se irão refletir nos próximos dias - e admite preocupação com a capacidade do SNS para o que se aproxima.

Nas duas conversas (que foram em separado) também são respondidas as seguintes questões:

Como é que ciência e inovação estão a fazer a diferença nesta pandemia do novo coronavírus?

De que forma é possível fazer melhor e tirar lições para o futuro?

A telesaúde poderia ter sido determinante para evitar mortes em excesso no país?

Falamos ainda em desinformação nas redes sociais em tempos de pandemia, a forma como nem todos os estudos devem ser considerados e como os testes e as máscaras vão continuar a ser importantes durante 2021, mesmo com a vacina.

(Veja a nossa área de podcasts)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de