Tecnologia made in Portugal permite à Cruz Vermelha expandir testes rápidos à covid-19

Empresa portuguesa e dos Países Baixos, Penguin Formula, está implementar tecnologia para agilizar testes rápidos à covid-19 e a ajudar a Cruz Vermelha Portuguesa a chegar a mais pessoas. Capacidade aumentou em vários milhares de testes por dia graças à nova plataforma.

Os testes, em particular os rápidos que usam o método antigénio, estão já a ser uma das principais ferramentas para minimizar os problemas em torno da pandemia. A empresa portuguesa (e dos Países Baixos) Penguin Formula lançou agora a solução SnapTest, que está a ser implementada com a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) e permitiu já aumentar os testes diários em Lisboa para mais 3500/dia face aos que eram feitos. A parte da plataforma para os utilizadores marcarem os testes está disponível em testescovidcvp.pt/.

A plataforma permite aos utilizadores, de forma simples e imediata, agendar, reservar e receber os resultados diretamente no seu dispositivo móvel ou desktop. A empresa explica ao Dinheiro Vivo que implementou em apenas dois dias a tecnologia que permitiu à CVP aumentar os testes, com a plataforma a servir para levar as pessoas em horários agendados para os já 16 postos fixos distribuídos pelo país e para marcar as deslocações das 14 equipas de intervenção das unidades móveis.

No caso do posto fixo de Lisboa, que é o maior e foi o primeiro a ser montado, existem duas linhas para automóveis ("drive-thru") em que o utente não precisa sair do carro e quatro linhas para peões ("walk-thru").

O Snaptest permite à CVP ter um sistema de agendamento online e offline (utilizado por enfermeiros e staff). Podem inserir os resultados e fazer uma clara gestão dos espaços disponíveis, na testagem dos dois tipos de teste: o teste Molecular (que foi o primeiro tipo de teste desde o início da pandemia) e o teste de Antigénio de Leitura Rápida (15 minutos).

Testes rápidos "fazem a diferença"

O coordenador tecnológico da CVP, com a área de Coordenação nacional de emergência, Miguel Santos, explica que a "utilização do SnapTest possibilitou à Cruz Vermelha Portuguesa substituir tabelas e formulários comuns, por um software integrado que permite ter toda a informação centralizada e segura". "A forma como a plataforma foi construída permitiu a integração com a nossa plataforma interna existente e sermos capazes de analisar dados diretamente", acrescentou.

O fator diferenciador dos testes rápidos é o de puderem ser utilizados fora do edifício hospitalar e, neste caso, puderem ser entregues em 15 minutos, o que nas visitas às casas das pessoas torna o processo bem mais simples e rápido.

Gonçalo Órfão, especialista em imuno-hemoterapia e gestor do Programa Especial de Testes Covid-19 da Cruz Vermelha, explicava em setembro ao Dinheiro Vivo que este tipo de testes rápidos "fazem a diferença não só na logística, mas também na rapidez dos resultados e ajudar a quebrar muito mais facilmente cadeias de transmissão". "São particularmente relevantes nos testes ao domicílio e em fábricas, lares, escolas e empresas".

A Cruz Vermelha Portuguesa entretanto lançou uma campanha de sensibilização para a importância da realização de testes à Covid-19, mostrando que ampliou a sua rede fixa e móvel de testes e diz "comprometer-se a normalizar esse sintoma permitindo um resultado mais rápido".

Mesmo nos casos dos testes moleculares, através de uma parceria com o Instituto de Medicina Molecular, a CVP diz conseguir resultados após 12 horas da realização do mesmo, além dos testes antigénio em 15 minutos e que custam 20 euros. Na iniciativa já estiveram envolvidos quatro mil voluntários.

Ferramenta testada em Portugal e na Holanda

Este novo SnapTest faz parte da ferramenta de gestão de recursos de saúde da Penguin Formula, o Critical Planning Solution (CPS). A solução CPS está neste momento implementada em Portugal com a CVP em Lisboa e na Holanda, "a Penguin Formula trabalha com uma clínica privada que também utiliza o módulo do Snaptest para agendar e registar os testes COVID-19 (PCR e Rápidos)", indica a empresa ao Dinheiro Vivo, admitindo que está ainda a "terminar a implementação para uma cadeia farmacêutica em Itália, que irá utilizar o Snaptest também para o agendamento e registo dos testes".

Talento português alimenta Penguin Formula

A jovem empresa Penguin Formula nasceu em 2016, quando o seu CEO e fundador holandês, Rudolf Vriens, quis juntar programadores talentosos para trabalhar em projetos de software complexos. Foi por falta de profissionais na Holanda que Vriens se virou para Portugal ainda antes de criar a empresa, graças a dicas de amigos. O que começou por serem dois programadores portugueses, depressa se tornou numa equipa inteira fulcral para o desenvolvimento de projetos e, assim, nasceu a Penguin Formula.

"A qualidade do código, documentação e velocidade dos desenvolvimentos fizeram com que a empresa estivesse pronta para crescer e florescer no mercado", indica a companhia.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de