Telecomunicações

Telecoms: Receitas com pacotes de serviços sobem para 1,3 mil milhões

Pacotes de telecomunicações são as últimas contas que deixam de pagar

Operadoras de telecomunicações estão a captar mais clientes nos pacotes de telecomunicações, segundo a Anacom.

As operadoras de telecomunicações faturaram 1,3 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano com serviços em pacto. É um aumento de 5,9% face ao mesmo período de 2016, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo regulador do sector, a Anacom. Isto numa fase em que o crescimento de clientes destes produtos dá mostras de acelerar.

Só no terceiro trimestre do ano “o número de clientes dos pacotes de serviços atingiu 3,7 milhões, mais 7,4% face ao trimestre homólogo, o que corresponde à entrada de 254 mil novos clientes. Trata-se do crescimento mais elevado registado nos últimos quatro trimestres”, diz a Anacom num comunicado enviado às redações.

O regulador explica que este crescimento “deve-se sobretudo aos pacotes 5P (telefone móvel e fixo, banda larga móvel e fixa e televisão por subscrição), que ganharam 46 mil novos clientes; aos pacotes 3P que incluem telefone fixo, banda larga fixa e televisão paga, com mais 28 mil clientes; e ao pacote 2P que integra o serviço de televisão por subscrição e banda larga móvel e que captou 26 mil novos subscritores no trimestre”.

No entanto, são os pacotes 5P e 3P os mais populares. Representam 82,3% dos clientes totais, com 1,5 milhões de clientes cada.

Meo lidera quota de mercado

No total dos serviço de pacotes, a Meo tinha, no final de setembro. a maior quota de mercado, com 39,9%. A Nos ocupava a segunda posição. Com 38,5%. Vodafone e Nowo tinham 16,7% e 4,8%, respetivamente. A Anacom detalha que “o grupo Nos continua a liderar nas modalidades 3P e 4P, enquanto a Meo liderava nas modalidades 2P e 5P”.

Já nos 1,3 mil milhões de euros de receitas, a maior fatia também pertence à Meo, com 41,4%. Nos, Vodafone e Nowo têm uma quota de 40,6%, 14,7% e 3,3%, respetivamente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens)

Sofia Tenreiro: “Estamos a captar os portugueses que não queremos que fujam”

O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva (C), ladeado por Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria (D), e Miguel Cabrita (E), secretário de Estado do Emprego, fala aos jornalistas no final da reunião com administração e Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa para discutirem um modelo de trabalho para o próximo ano, no Ministério do Trabalho e da Segurança Social, em Lisboa, 15 de dezembro ded 2017.  Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autoeuropa. Governo dá luz verde a creches para destravar diálogo

Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Fitch dá maior subida de rating de sempre a Portugal e coloca país no grupo da Itália

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Telecoms: Receitas com pacotes de serviços sobem para 1,3 mil milhões