Dixarobil conclui processo e já pode explorar 5G em Portugal

Holding do grupo romeno de telecomunicações Digi Communications já tem autorização da Anacom para lançar ofertas comerciais 5G. Empresa investiu cerca de 67 milhões no espetro.

José Varela Rodrigues
 © Josep LAGO/AFP

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) anunciou esta terça-feira que a Dixarobil concluiu o processo do leilão da quinta geração da rede móvel e, por isso, já tem autorização do regulador para explorar o 5G em Portugal.

A Dixarobil, que pagou cerca de 67 milhões de euros por oito lotes de frequências, é a quinta empresa de telecomunicações a receber licenças 5G. Neste momento, falta apenas a Meo, da Altice Portugal concluir o processo.

"Esta decisão foi adotada na sequência do pagamento efetuado pela empresa dos valores devidos pelo espetro ganho no referido leilão, em conformidade com o que determina o regulamento do leilão", refere a Anacom, em comunicado.

"Assim se conclui, para esta empresa, o processo do leilão e atribuição das frequências. A partir de agora, esta empresa pode dar início à exploração comercial das frequências atribuídas", adianta o regulador.

A Dixarobil adquiriu um lote nos 900 MHz, outro lote nos 1.800 MHz, dois nos 2,6 Ghz e quatro na banda dos 3,6 Ghz.

A NOS, a Dense Air, a Vodafone Portugal e a Nowo, da MásMóvil, já têm garantida a emissão dos direitos de utilização de frequências (DUF) no 5G.

Os DUF do leilão 5G foram atribuídos à Dense Air, Dixarobil, Meo, NOS, Nowo Communications e Vodafone Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG