Cellnex notifica Concorrência da compra de mais ativos da Meo em Portugal

Esta notificação surge depois de, em agosto, a AdC ter adotado uma decisão de não oposição à compra de 700 torres da Altice pela Cellnex Portugal, por 209 milhões de euros, a quinta transação em Portugal desde setembro de 2018.

A Autoridade da Concorrência (AdC) foi notificada pela filial portuguesa da empresa espanhola de telecomunicações Cellnex da compra à PT Portugal de mais ativos da infraestrutura passiva da Meo, segundo aviso publicado.

A operação de concentração, notificada há 10 dias, consiste na aquisição à PT Portugal de um conjunto de ativos da atual infraestrutura passiva da Meo, sendo os ativos PT "objeto de um carve-out [separação e alienação] para uma NewCo, e sobre a qual a CLNX [Cellnex] Portugal adquirirá o controlo exclusivo".

Esta notificação surge depois de, em agosto, a AdC ter adotado uma decisão de não oposição à compra de 700 torres da Altice pela Cellnex Portugal, por 209 milhões de euros, a quinta transação em Portugal desde setembro de 2018, envolvendo no seu conjunto um investimento total de mais de 2.000 milhões de euros, segundo revelou na altura a empresa.

O conjunto de ativos PT a integrar uma NewCo correspondem à infraestrutura passiva para alojamento de equipamento da rede móvel (macro-sites), atualmente detida pela Meo, bem como os correspondentes direitos e todos os contratos relacionados e acordos subjacentes.

OgGrupo Cellnex, segundo o aviso, é um operador europeu independente de infraestruturas de telecomunicações que suportam equipamentos de ligações sem fios que, em Portugal, detém e explora mais de cinco mil macro-sites através da OMTEL e ON Tower.

Em abril de 2020, a Cellnex anunciou a compra à NOS da totalidade do capital social da NOS Towering, num acordo com um pagamento inicial de 375 milhões, mas cujo valor total pode ascender a 550 milhões de euros em seis anos.

Em 2020, os prejuízos da Cellnex agravaram-se para 133 milhões de euros, contra nove milhões um ano antes, devido a "elevadas amortizações" e custos financeiros associados a aquisições, enquanto as receitas atingiram os 1.608 milhões de euros, um aumento de 55% face a 2019.

Na altura da divulgação dos resultados, em fevereiro deste ano, o presidente executivo da Cellnex, Tobias Martinez, afirmou que 2020 foi "um ano excecional na história da Cellnex num momento igualmente excecional da nossa história".

"Novas operações de crescimento na Áustria, Dinamarca, França, Irlanda, Itália, Holanda, Polónia, Portugal, Suécia e Reino Unido consolidaram e expandiram" a presença europeia da Cellnex, acrescentou, citado em comunicado, referindo que o grupo tinha compromissos de investimentos de 16 mil milhões de euros em 2020 e mais nove mil milhões de euros anunciados já no início deste ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de