NOS instala rede 5G no Porto de Leixões

Parceria entre 'telecom' e APDL faz do Porto de Leixões o primeiro porto com rede 5G. Drones 5G para acompanhar operações em tempo real são a maior inovação desta parceria.

A NOS anunciou esta quinta-feira que fechou uma parceria com a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) para "equipar" o Porto de Leixões com a quinta geração da rede móvel (5G).

Em comunicado, a telecom liderada por Miguel Almeida refere que o Porto de Leixões poderá, agora, "contar com significativos incrementos em termos de competitividade, eficiência e segurança na gestão desta importante infraestrutura nacional".

O setor dos portos marítimos é um dos que poderá beneficiar bastante das potencialidade do 5G, sendo que esta parceria prevê possibilitar monitorizações, em tempo real, de operações de risco. Como? O Porto de Lexões terá drones ligados à rede 5G que conseguirão transmitir imagens de vídeo em alta qualidade para a sala de controlo.

Os drones 5G estão também preparados para ser equipados com sensores ambientais, de ruído e qualidade do ar, capazes de medir os impactos de cada operação em tempo real e diretamente no local.

"Com estes meios de monitorização remotos, tanto o centro de operações, como os pilotos dos navios podem acompanhar um conjunto de manobras de maior risco, aumentando simultaneamente a capacidade para realizar inspeções no local, com maior frequência, flexibilidade e segurança bem como permitir um apoio fundamental na gestão à resposta e mitigação em caso de incidentes", lê-se no comunicado da NOS.

O acordo entre a NOS e a APDL prevê, ainda, um estudo em conjunto para a melhor forma de recorrer á realidade aumentada e e tecnologia de gémeo digital, "para tornar os processos de manutenção de maquinaria e logística mais eficientes, implementando IOT de sensorização para saber em tempo real a localização e estado de todos os ativos".

"Graças às soluções baseadas em 5G que estamos a implementar, o Porto de Leixões, uma das mais relevantes infraestruturas nacionais, poderá reforçar a sua posição competitiva, não apenas no contexto ibérico mas também europeu", sintetizou o administrador da NOS Manuel Ramalho Eanes.

Consciente da importância do 5G para a operação do porto, o Presidente do Conselho de Administração da APDL, Nuno Araújo, considera que irá alcançar um "fator de competitividade mais relevante".

"Para o Porto de Leixões é absolutamente crítico a utilização de tecnologias inovadoras como o 5G, de forma a potenciar o nosso processo de transformação digital e assim incrementar a nossa produtividade e melhorar o nosso posicionamento", acrescenta.

Em 2020, e mesmo com o efeito da pandemia, o Porto de Leixões movimentou cerca de 17,1 milhões de toneladas de contentores. Neste contexto, atingiu um novo máximo histórico de 703 919 TEUS (unidade de medida equivalente a um contentor de 20 pés), crescendo 2,6% face a 2019, "o que sugere não só uma resiliência das empresas importadoras e exportadoras que operam na sua área de influência, mas também a capacidade do ecossistema portuário em se adaptar rapidamente a alterações das condições do mercado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de