Automóvel

Tesla volta a suspender produção do Model 3. A culpa é dos robôts

Model 3 é o primeiro modelo de larga produção da Tesla. Fotografia: REUTERS/Lucy Nicholson
Model 3 é o primeiro modelo de larga produção da Tesla. Fotografia: REUTERS/Lucy Nicholson

Esta é a segunda interrupção na linha de montagem em cerca de dois meses.

A Tesla suspendeu temporariamente a produção do Model 3, o primeiro modelo de larga escala da marca norte-americana. Esta é a segunda interrupção na linha de montagem em cerca de dois meses e vai durar pelo menos quatro dias, segundo a informação adiantada pelo portal BuzzFeed. Elon Musk já admitiu que depender em demasia dos robôts foi um erro.

Fonte oficial da Tesla justifica as paragens com a necessidade de melhorar a tecnologia de automação e responder aos bloqueios de produção. Durante estes dias, os operários deverão gozar alguns dias de férias ou ficar em casa sem receber qualquer compensação por isso.

Elon Musk alegou que a instalação de mais robôts do que o habitual numa linha de montagem seria uma vantagem face aos principais concorrentes. Mas o sul-africano, na semana passada, reconheceu que “a excessiva automação na Tesla foi um erro”. E admitiu que os humanos eram “desvalorizados” e que foi um erro do próprio CEO da Tesla.

A marca norte-americana produziu apenas 9766 Model 3 no primeiro trimestre de 2018. Os problemas na linha de montagem e a necessidade de atualizar o equipamento justificaram os baixos números de produção, reconheceu a Tesla no início de abril. No final de 2017, a empresa já revisto as metas para o Model 3: previa fabricar 5000 Model 3 por semana ao longo do primeiro trimestre de 2018.

O Model 3 é considerado um modelo decisivo para o futuro da Tesla, que precisa de gerar receitas avultadas rapidamente para evitar um novo aumento de capital ainda em 2018.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro adjunto Pedro Siza Vieira. 
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Proposta que cria sociedades de investimento em imóveis avança até final do ano

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Despesa com juros da dívida ultrapassou 5 mil milhões de euros até julho

Apple devolve à Irlanda14 mil milhões em ajudas consideradas ilícitas

Outros conteúdos GMG
Tesla volta a suspender produção do Model 3. A culpa é dos robôts