retalho

ToysRUs quer mais 20 lojas, aposta em linha para bebés para faturar 250 milhões

Toys R Us

Novos formatos, aposta em marca própria e linhas de merchandising para novos públicos fazem parte dos planos da Toys R Us detida a 60% pela Green Swan

A Toys ‘R’ Us prevê investir 20 milhões de euros em quatro anos na abertura de 20 lojas, parte delas em regime de franchising. Novos formatos, como lojas para bebés e espaços mais pequenos para o centros urbanos, estão nos planos da companhia. A cadeia, detida desde agosto a 60% pelo fundo português Green Swan, tem como objetivo em 2022 faturar 250 milhões.

A Toys ‘R’ Us Ibéria já investiu desde agosto 4,5 milhões de euros para abrir lojas em Madrid e modernizar o software da empresa, para impulsionar as vendas online. Atualmente, o ecommerce representa 5% do total das vendas da empresa de brinquedos, mas em quatro anos a empresa quer que este segmento represente 20%, diz Paulo Sousa, CEO da Toys ‘R’ Us Ibéria, em entrevista ao Expánsion.
A empresa está a renovar a imagem das 61 lojas em Portugal e Espanha, preparando-se para o Natal, época que representa 50% das vendas da Toys ‘R’ Us. Em Portugal e Espanha, a empresa tem no ar uma anúncio televisivo, com criatividade da agência Lola MullenLowe, campanha com mão espanhola e portuguesa, assinalando o facto de ser agora ibérica. Em O Melhor do Natal és Tu, a Toys ‘R’ Us investiu 2,2 milhões de euros, segundo informação enviada à imprensa.
Novos formatos: Babies ‘R’ Us e Toys ‘R’ Us Express

Em quatro anos a empresa quer faturar 250 milhões de euros, valor acima dos atuais 215 milhões faturados em 2017. “Este ano esperamos fechar um pouco abaixo deste valor”, devido à crise que atingiu a empresa no verão, diz Paulo Sousa, citado pelo Expansion. O EBITDA (17 milhões o ano passado) também deverá recuar em 2018, apontando o responsável que o mesmo se situe em 2022 nos 25 milhões, com uma margem operativa de 10% (uma subida face aos 8% registados o ano passado).

Uma das formas de melhorar os resultados será através de marcas próprias. Mas não só. A empresa também pretende ampliar o seu público-alvo. O foco atual é crianças entre os 0-8 anos, mas a companhia pretende impulsionar a linha Babies ‘R’ Us e acima dos 8 anos, com artigos colecionáveis e merchandising de música e filmes. “Todos os dias temos mais avós nas lojas e não falamos com eles, estamos estudando como chegar a este público”, diz Paulo Sousa.

Em quatro anos, a empresa quer abrir 20 lojas, parte em franchising, fórmula que será usada em novos formatos como as lojas Toys ‘R’ Us Express nos centros das cidades. Também está ser equacionado a abertura de lojas Babies ‘R’ Us, exclusivamente com produtos para bebés.

Nos planos da empresa está ainda a criação de uma academia, onde irá disponibilizar aulas de matemática ou química conjugando jogos educativos com a experiência de professores, bem como uma aceleradora de startups de jogos em Madrid. Dois projetos que deverão arrancar no primeiro trimestre de 2019.

Uma aposta que não passa apenas pelo crescimento orgânico. A empresa fez uma proposta para a compra da cadeia Poly, com 56 lojas e mais de 40 milhões em vendas. Não ganharam, mas reclamaram da decisão.

Nos planos da empresa estão novas aquisições, tanto no mercado ibérico, como fora, mas nesse último caso teriam de operar sob outra marca. “A concentração é inevitável no mercado dos jogos”, considera o CEO da Toys ‘R’ Us Ibéria.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(PAULO CUNHA/LUSA)

Costa espera ser primeiro-ministro 12 anos e dar início à regionalização

O novo primeiro-ministro, António Costa. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

OE2020: Costa anuncia reforço de incentivos ao arrendamento acessível

Alexandra Leitão, ministra da Administração Pública. Fotografia: António Pedro Santos/Lusa

Funcionários mais antigos podem perder dias de férias com baixas prolongadas

Outros conteúdos GMG
ToysRUs quer mais 20 lojas, aposta em linha para bebés para faturar 250 milhões