Antiga Triumph

Trabalhadoras da antiga Triumph concentram-se junto ao Palácio de Belém

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA
Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

As trabalhadoras da fábrica da antiga Triumph têm estado desde o dia 5 de janeiro em vigília à porta da empresa.

As trabalhadoras da fábrica da antiga Triumph, em Loures, estão esta segunda-feira de manhã concentradas junto ao Palácio de Belém, em Lisboa, para pedir a intervenção do Presidente da República no seu caso.

Em declarações à agência Lusa, Mónica Antunes, dirigente do sindicato dos têxteis do Sul, explicou que esta é mais uma tentativa de fazer pressão para que a situação destas trabalhadoras se resolva.

As trabalhadoras da fábrica da antiga Triumph têm estado desde o dia 5 de janeiro em vigília à porta da empresa, depois de terem tomado conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência.

Na quinta-feira, as trabalhadoras estiveram em manifestação à porta da Presidência do Conselho de Ministros, onde entregaram uma peça de lingerie dirigida ao ministro da Economia como protesto contra o encerramento da fábrica em Loures, apelando ao Governo para intervir no processo.

Na conferência de imprensa do Conselho de Ministros de quinta-feira, a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, foi questionada sobre este protesto e a situação da fábrica da antiga Triumph, tendo começado por assegurar que “este tema não foi discutido” na reunião do executivo, mas que “é uma situação que o Governo está a acompanhar não desde há uma semana a esta parte, mas já há bastante tempo”.

Já na terça-feira de manhã, em audição parlamentar, o ministro da Economia disse esperar que se encontre uma “solução” para a Têxtil Gramax, admitindo a existência de interessados na fábrica, mas caso não seja possível “que pelo menos se acautele os direitos dos trabalhadores”.

Há quase um ano, em 04 de janeiro de 2017, Manuel Caldeira Cabral congratulou-se então com o facto da antiga fábrica de roupa interior da Triumph continuar a laborar em Portugal e manter os cerca de 500 postos de trabalho, durante uma visita à fábrica na qual foi informado pela atual administração da TGI do plano de negócios, que previa a “diversificação do portefólio de produção” assim como a “expansão a novos mercados de exportação”.

A fábrica da antiga Triumph (de roupa interior feminina), sediada na freguesia de Sacavém, concelho de Loures, foi adquirida no início de 2017 pela TGI-Gramax e emprega atualmente 463 trabalhadores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Desemprego registado dispara em abril. ( Pedro Correia / Global Imagens )

Taxa de desemprego em março baixou mas há menos pessoas a trabalhar

TIAGO PETINGA/LUSA

António Mexia recusou responder ao juiz Carlos Alexandre no caso EDP

Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital,. Foografia: Manuel de Almeida / LUSA

Siza Vieira. Há 46 mil empresas com pedidos de lay-off renovados

Trabalhadoras da antiga Triumph concentram-se junto ao Palácio de Belém