Desemprego

Trabalhadoras da Triumph recebem subsídio de desemprego a partir de 10 de fevereiro

Vigília de trabalhadoras da antiga Triumph. Fábrica têxtil Gramax entrou em insolvência. Fotografia: INÁCIO ROSA/LUSA
Vigília de trabalhadoras da antiga Triumph. Fábrica têxtil Gramax entrou em insolvência. Fotografia: INÁCIO ROSA/LUSA

Delegação do sindicato representativo das 463 trabalhadoras da antiga Triumph reuniu-se esta tarde com o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

As trabalhadoras da antiga Triumph, que foi declarada insolvente na quarta-feira passada, foram informadas pelo Governo esta segunda-feira, dia 29, de que irão começar a receber o subsidio de desemprego a partir do dia 10 de fevereiro.

Uma delegação do sindicato representativo das 463 trabalhadoras da antiga Triumph reuniu-se esta tarde com o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e com um representante do Ministério do Trabalho para abordarem o futuro da fábrica, localizada no concelho de Loures.

Na quarta-feira as trabalhadoras tinham sido informadas de que foi decretada a insolvência da empresa e por isso seriam alvo de despedimento coletivo, podendo, contudo, aceder ao subsídio de desemprego e ao fundo de garantia social.

“Já tínhamos solicitado, anteriormente, uma reunião com o ministro, mas não tinha sido possível. Hoje convocou-nos para nos esclarecer sobre as notícias que têm saído sobre a possibilidade de existirem investidores para a fábrica”, referiu à agência Lusa Manuela Prates, do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Curtumes do Sul.

A sindicalista referiu que o ministério esclareceu que não existe, para já, nada de concreto e que o sindicato insistiu na ideia de que “é muito importante conseguir encontrar uma solução para a fábrica continuar a laborar”.

Por outro lado, no decorrer da reunião, o sindicato foi informado por um representante do Ministério do Trabalho de que as trabalhadoras iriam começar a receber a partir do dia 10 de fevereiro o subsídio de desemprego.

“O desfecho desta situação representou uma vitória das trabalhadoras que lutaram até ao fim pelos seus direitos. Uma palavra também para a Câmara Municipal de Loures que nos ajudou muito neste processo”, sublinhou.

Manuela Prates adiantou ainda que o ministro da Economia pretende reunir-se brevemente com a administradora de insolvência para discutir o futuro da empresa.

“Aquilo que sabemos é que há um período de três meses para tentar encontrar um investidor que adquira a fábrica. Se não existir, terá de se partir para um leilão do imóvel e do recheio”, explicou.

Entretanto, na quinta-feira irá ser iniciado o processo de inventário dos bens existentes na fábrica.

A empresa alemã Triumph possuía uma fábrica em Sacavém, concelho de Loures, que foi adquirida em setembro de 2017 pela empresa Têxtil Gramax Internacional (TGI), uma sociedade portuguesa de capital suíço.

O processo de venda, que decorreu durante um ano, chegou a ser muito contestado pelos cerca de 500 trabalhadores, assim como pela Câmara Municipal de Loures, que temiam que a fábrica encerrasse definitivamente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
fitch rating dívida riscos políticos

Taxa de juro da nova dívida cai para mínimo histórico de 1,8% em 2018

Fotografia: REUTERS/ Carlos Barria

China põe marcas de luxo a bater recordes

notas

Crédito cresce nas famílias mas ainda encolhe nas empresas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Trabalhadoras da Triumph recebem subsídio de desemprego a partir de 10 de fevereiro