Automóvel

Trabalhadores da Autoeuropa satisfeitos com novos horários

Autoeuropa. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes / Global Imagens
Autoeuropa. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes / Global Imagens

Além da compensação financeira pelo trabalho aos sábados e domingos, os trabalhadores continuam a gozar duas folgas por semana.

Os trabalhadores da Autoeuropa estão satisfeitos com os novos horários de trabalho de 19 turnos por semana e não tem havido quaisquer sinais de descontentamento, garantiu esta terça-feira à agência Lusa o coordenador da Comissão de Trabalhadores, Fausto Dionísio.

“Os trabalhadores da Autoeuropa preferem estes novos horários, de 19 turnos por semana, aos anteriores, de 17 turnos”, disse Fausto Dionísio, assegurando que a Comissão de Trabalhadores não tem conhecimento de eventuais sinais de descontentamento.

Além da compensação financeira pelo trabalho aos sábados e domingos, remunerado a 100%, os trabalhadores da Autoeuropa continuam a gozar duas folgas por semana, incluindo dois fins de semana completos todos os meses.

Segundo revelou o jornal Eco, em reunião com a administração da empresa os sindicatos terão tentado que fosse fixado um prazo para a vigência do horário atual, mas a administração manifestou a intenção de manter o esquema de 19 turnos por semana enquanto se mantiver o ritmo de produção dos últimos meses.

A fábrica de automóveis do grupo Volkswagen em Palmela implementou os novos horários de laboração contínua para dar resposta ao elevado volume de produção do T-Roc, o novo veículo produzido na Autoeuropa desde meados do ano passado.

Em declarações à agência Lusa, o coordenador da Comissão de Trabalhadores, Fausto Dionísio, confirmou também a informação avançada por alguns órgãos de comunicação social da área económica, sobre o prolongamento da produção do Volkswagen Sharan por mais dois anos.

A produção do monovolume Volkswagen Sharan deveria ser descontinuada em 2020, mas a Volkswagen decidiu continuar a fabricar este veículo até 2022, prevendo-se que a produção vá sendo ajustada em função das encomendas.

A agência Lusa tentou ouvir a administração da fábrica de Palmela mas ainda não foi possível.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Trabalhadores da Autoeuropa satisfeitos com novos horários