Indústria

Trabalhadores da Parmalat Portugal iniciam hoje cinco dias de greve parcial

Fotografia: EPA/BENVENUTI
Fotografia: EPA/BENVENUTI

Os trabalhadores da Parmalat Portugal iniciam hoje cinco dias de greve para reivindicar aumentos de 2% na tabela salarial.

Os trabalhadores da Parmalat Portugal, com fábrica no distrito de Setúbal, iniciam hoje cinco dias de greve de quatro horas no início de cada turno para reivindicar aumentos de 2% na tabela salarial. A paralisação foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul) e visa, além da atualização salarial, reivindicar o direito a mais um dia de férias em 2018 e 7,23 euros no subsídio de alimentação.

O pré-aviso de greve compreende as primeiras quatro horas no início de cada turno entre as 21h00 de hoje e as 21h00 de quinta-feira.

Segundo a comissão sindical, “a empresa quer dar um aumento irrisório, depois de em 2013, 2014 e 2015 ter conseguido em média mais de seis milhões de lucros e sabendo já que o ano 2016 foi muito bom”.

“Na última reunião, a empresa apresentou a sua última proposta, na qual aceita dar os 7,23 euros de subsídio de alimentação e dar um dia de tolerância a quem não tenha tido faltas em 2016, mas em termos de aumentos salariais concretos [a proposta da Parmalat Portugal] fica muito aquém do esperado pelos trabalhadores”, apontou a mesma entidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, durante a sua audição na Comissão de Saúde, na Assembleia da República, em Lisboa, 27 de fevereiro de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

ADSE já enviou novas tabelas de preços aos privados para negociação

Mario Draghi, Presidente do Banco Central Europeu. REUTERS/Kai Pfaffenbach

BCE discutiu pacote de medidas para estimular economia na reunião de julho

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Outros conteúdos GMG
Trabalhadores da Parmalat Portugal iniciam hoje cinco dias de greve parcial