Trotinetas e bicicletas partilhadas da Uber passam para a Lime

Uber liderou ronda de investimento de 170 milhões de dólares, que foi comunicada um dia depois de anunciar despedimento de 3700 pessoas.

As trotinetas e bicicletas partilhadas da Uber vão passar para os norte-americanos da Lime. A Uber tomou esta decisão depois de liderar um investimento de 170 milhões de dólares (157,2 milhões de euros) na plataforma norte-americana de micromobilidade, que foi anunciado esta quinta-feira.

O negócio vai ter impacto no mercado português, onde a Lime está presente desde outubro de 2018 e onde a Uber partilha bicicletas e trotinetas elétricas desde fevereiro de 2019.

Esta operação vai permitir à Lime comprar a operação da Uber na área dos veículos partilhados e que estava sob a marca Jump. Por outro lado, a aplicação móvel da Lime estará cada vez mais integrada com a app da Uber, segundo o comunicado divulgado ao mercado.

A operação também implica mudanças na liderança da Lime: o até agora presidente executivo, Brad Bao, vai passar a ser o presidente do conselho de administração desta plataforma; o novo CEO da Lime é Wayne Ting, que ocupava o cargo de líder de operações.

Liderada pela Uber, a mais recente ronda de investimento da Lime contou com a participação da Alphabet (dona da Google), os norte-americanos da Bain Capital Ventures e da Google Ventures. Devido aos impactos económicos da pandemia do novo coronavírus, a nova ronda de investimento terá levado à redução da valorização da Lime em 79%, para os 510 milhões de dólares, segundo informação adiantada pelo portal The Information.

Apesar disso e dos receios em utilizar meios de transporte partilhados, a Lime acredita que "a micromobilidade vai ser vital num mundo afetado pelo novo coronavírus" e que as cidades "já estão a começar a mover-se novamente".

A mudança da Uber no mercado de veículos partilhados ocorre um dia depois de ter comunicado o despedimento de 3700 trabalhadores em todo o mundo, para reduzir os custos e enfrentar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Perante a redução das viagens de passageiros, a plataforma de transportes lançou, a partir do mercado português, um serviço de entregas para empresas.

No mercado de mobilidade partilhada, a maior rival da Lime, a Bolt, anunciou, no final de janeiro, a compra da startup europeia Circ, que tinha negócio no mercado português.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de