Mobilidade partilhada

Trotinetes elétricas portuguesas Iomo vão concorrer com a Lime em Lisboa

iomo - scooter 1

Lisboa vai passar, em breve, para uma cidade com dois operadores com trotinetes elétricas para uma mobilidade partilhada.

Depois da Lime anunciar a chegada a Portugal (ainda por concretizar), agora foi a vez da portuguesa iomo. A iomo fez o anúncio da sua chegada em comunicado, com um senão, tal como a americana Lime também ainda não indicou o dia em que passa a ser possível fazer viagens de trotinetes elétricas. Lisboa vai passar, assim, nos próximos dias (ou semanas) a ter dois serviços com algo que só existia até agora com as scooters elétricas da eCooltra: serviços de mobilidade partilhada (e elétrica) sem estações específicas onde deixar e levantar os veículos (algo que com as bicicletas da câmara, Gira, acontece).

A Insider/Dinheiro Vivo já tinha anunciado a chegada da Lime a semana passada, onde revelámos os pormenores do serviço que está a crescer de forma vertiginosa nos Estados Unidos, Austrália e Europa. A Lime já tem a app totalmente funcional em Portugal, só falta colocar as tais trotinetes (também chamadas de scooters elétricas pela própria empresa) na rua e a funcionar.

iomo - app 3

A iomo surge com um serviço semelhante ao conceito da Lime com as trotinetes elétricas sustentáveis (também lhe chamam de scooters) e que permitem percorrer curtas distâncias nas estradas urbanas e nas ciclovias. Até o preço é igual: terá um preço médio de 0,15 cent/min, diz a empresa em comunicado. Tal como a Lime, há planos para chegar depois a outras cidades nacionais.

“AS IOMO TÊM COMO OBJETIVO SERVIR OS HABITANTES E TRABALHADORES QUE FREQUENTAM SOBRETUDO AS PRINCIPAIS ZONAS URBANAS. SÃO, POR ISSO, UM LAST MILE TRANSPORTATION, UM CONCEITO QUE ESTÁ A TORNAR-SE COMUM NAS PRINCIPAIS CAPITAIS EUROPEIAS. OS UTILIZADORES RECORREM A ESTAS SCOOTERS ELÉTRICAS PARA PERCORRER CURTAS DISTÂNCIAS, POR EXEMPLO, ENTRE CASA E A ESTAÇÃO DE AUTOCARRO OU COMBOIO E/OU ENTRE O TRANSPORTE PÚBLICO ATÉ AO DESTINO FINAL, POR EXEMPLO, O LOCAL DE TRABALHO. AS IOMO ANDAM 6 VEZES MAIS RÁPIDO DO QUE O PASSO DE CAMINHADA, PERMITINDO PERCORRER 1 QUILÓMETRO EM 3-4 MINUTOS.” COMUNICADO DA IOMO

A trotinete é ágil e fácil de utilizar, indica a empresa, não necessita licença de condução, e os utilizadores precisam apenas de ter mais de 18 anos. Com base no sistema de free float – já conhecido nas tradicionais bicicletas nas zonas urbanas – é possível recolher e deixar uma iomo em qualquer local seguro dentro de um perímetro pré-definido.

Embora a app ainda não esteja disponível, as primeiras iomo estão em circulação na zona de Lisboa (Parque das Nações e Saldanha) e podem ser testadas por todos os interessados. O lançamento do serviço está marcado para o início de outubro, com uma frota inicial de 50 trotinetes (a Lime indica que vai começar com 200 a 400 unidades). Em 2019, a empresa prevê chegar aos 1000 veículos, em mais quatro cidades além de Lisboa.

iomo - scooter 3

Como utilizar a iomo?

A empresa explica. O serviço funciona através de uma app para smartphone – brevemente disponível para Android e iOS – que localiza, no mapa, todos os locais de “estacionamento”. Depois, o utilizador pode selecionar e reservar na zona preferencial, faz a viagem e, no final, devolve a scooter num dos locais disponíveis. O utilizador apenas paga os minutos percorridos, numa média de 0,15cent/min. A velocidade máxima da trotinete é de 20km/h. Funciona com base numa app para smartphone e caracteriza-se pelo modelo free float, onde o utilizador pode recolher e devolver a scooter nos vários espaços disponíveis.

A iomo indica apenas ser uma empresa que surge para dar resposta a uma necessidade comum nas principais cidades e capitais europeias, a mobilidade partilhada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal  Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Mário Vaz. “Havendo frequências, em julho teríamos cidades 5G”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Trotinetes elétricas portuguesas Iomo vão concorrer com a Lime em Lisboa