Turismo

Turismo a crescer no Norte atrai investimento na hotelaria de luxo

Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens
Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Novas unidades hoteleiras de quatro e cinco estrelas não chegam para tanta procura, num ano em que a região torna a bater recordes de turistas.

O Norte é a região onde as dormidas mais cresceram até maio, aumentando o recorde do ano passado: +15,5%, segundo o Instituto Nacional de Estatística, a um ritmo que é o triplo do de Lisboa (+5,4%). É também no Norte que mais aumentam os negócios: +19% de proveitos totais e +18,6% nos proveitos de aposento (maio). O Revpar (rendimento médio por quarto) subiu para 39,5€ e deverá continuar a aumentar, quando, em 2017 , ficarem prontas mais unidades de quatro e cinco estrelas. As que existem têm estado esgotadas, disseminando dormidas para lá da cidade do Porto ou do Douro, aumentando a estada e o preço médios, bem como a apreciação internacional do destino.

Maria do Carmo Barbosa, diretora do Carmo's Boutique Hotel, sempre atenta aos pormenores. Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Maria do Carmo Barbosa, diretora do Carmo’s Boutique Hotel, sempre atenta aos pormenores.
Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Discretamente implantado na Gemieira, freguesia de Ponte de Lima, o Carmo’s Boutique Hotel pertence à exclusiva rede Small Luxury Hotels of the World – é o único no Norte a ser nomeado para os The World Luxury Hotel Awards 2016. Mais importantes do que as cinco estrelas com que foi inaugurado, em 2012, é a pontuação de 8,8 no Booking ou de 4,5 no TripAdvisor. É assim que surgem os primeiros árabes, russos, norte-americanos e, cada vez mais, alemães e portugueses que passam palavra e repetem a estadia, a 250€ por noite.

Dormidas no Norte crescem ao triplo do ritmo da capital e negócios já aumentaram 20%

“O preço foi a decisão mais difícil que tomámos neste projeto”, confessa Maria do Carmo Barbosa, co-proprietária e diretora do hotel. “Mas foi uma escolha acertada, porque trabalhamos com operadores que não discutem preços e temos uma ocupação de 80% entre maio e outubro”, desvenda. Rentabilizar o investimento de três milhões de euros num hotel de luxo não ostensivo significa, para a empresária, uma preocupação constante com os pormenores que ditam o bem-estar dos hóspedes, desde o pequeno-almoço personalizado à oferta de programas na região, integrados com outras quintas produtoras de vinhos. Ou um batismo de cavalo com almoço, como propõe o renovado Restaurante Picadeiro, em Ponte de Lima.

Isabel Rego Pimenta confiou a cozinha d'O Picadeiro ao chef Rui Sousa. Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Isabel Rego Pimenta confiou a cozinha d’O Picadeiro ao chef Rui Sousa.
Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

“Quisemos elevar o nível da boa culinária da região, do serviço e a qualidade de tudo o que vem para a mesa”, explica Isabel Rego Pimenta, responsável pela renovação do espaço que o TripAdvisor classifica de Excelente. “As redes sociais e trazem-nos imensos turistas”, confessa a advogada que investiu “dezenas de milhares de euros” para mudar a decoração, a cozinha e o pessoal. O chef Rui Sousa renovou a cozinha minhota sem a alterar dramaticamente, recuperando receitas antigas com um toque pessoal, como na “Paella da Terra de Bacalhau”.

A chef Ana Guimarães é responsável pelo “miminho” dos bombons caseiros no quarto e as bolachinhas caseiras sempre disponíveis na sala comum do Rinotel, em Caminha. O tratamento dos hóspedes pelo nome e a qualidade do serviço vale uma impressionante pontuação de 9,6 no Booking. E há quem vá embora a chorar. “Tivemos uns alemães que sairam daqui a chorar. Deixaram reserva feita para regressar em outubro”, conta a diretora, Liliana Cunha. Entre maio e setembro, mesmo a 200€ por noite, o hotel está frequentemente esgotado, ainda que a média de ocupação anual ronde apenas 35%. “É rentável”, assegura a diretora, sem desvendar pormenores.

Hotel RinoTerra Minho, em Seixas, Caminha, nasceu da paixão de um empresário russo pela região. Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Hotel RinoTerra Minho, em Seixas, Caminha, nasceu da paixão de um empresário russo pela região.
Foto: Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Inaugurado em 2014, após um investimento de 1,5 millhões, o Rinoterra já está a ser aumentado com bungallows e piscina coberta. Por detrás do negócio está a paixão pela região de um empresário dos transportes marítimos russo, Ilya Serbin. de 49 anos, a viver em Caminha. O empresário vai inaugurar, em 2017, outro empreendimento de um milhão em Vila Praia de Âncora e planeia um projeto de seis milhões em Arcos de Valdevez.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Turismo a crescer no Norte atrai investimento na hotelaria de luxo