Turismo

Turismo rural com as menores perdas em julho

Turismo em espaço rural: Monte do Giestal, em Santiago do Cacém. (Orlando Almeida / Global Imagens)
Turismo em espaço rural: Monte do Giestal, em Santiago do Cacém. (Orlando Almeida / Global Imagens)

Dormidas em alojamentos de turismo rural e de habitação caíram 22,7% em julho; os restantes tipos de estabelecimento têm descidas acima dos 50%.

O turismo no espaço rural e de habitação foi o tipo de estabelecimento com menores perdas em julho. Dos 2,627 milhões de dormidas em alojamento turístico naquele mês, 213,2 milhões corresponderam a pernoitas em turismo no espaço rural e de habitação. Em julho, Portugal teve 1 milhão de turistas (-64%), conforme o INE já tinha divulgado dia 31 de agosto.

A quebra de 22,7% nas dormidas em espaços de turismo rural face ao mesmo mês de 2019 compara com as descidas acima dos 55% nos restantes estabelecimentos, segundo os dados publicados pelo INE – Instituto Nacional de Estatística esta terça-feira.

O número de dormidas em espaço de turismo rural em julho de 2020 está ao nível dos números registados em julho de 2016, ou seja, houve um recuo de quatro anos.

Nos restantes tipos de alojamento, as descidas são mais significativas: só na hotelaria, a quebra foi de 70,4%, para 1,994 milhões. No alojamento local, a diminuição foi de 65,5%, para 419,8 mil. Nestes espaços, registaram-se os números mais baixos desta série estatística do INE, iniciada em 2013.

Por causa da menor diminuição no número de dormidas, o turismo rural registou uma quebra nos proveitos totais de 18,4%, para 13,1 milhões de euros. Na hotelaria, o recuo foi de 70,5%, para 157,9 milhões de euros; no alojamento local, a quebra foi de 67,7%, para 16 milhões de euros.

As quebras na rentabilidade média por quarto (RevPAR) também foram menores no turismo rural do que nos outros tipos de estabelecimento: 33,1 euros por quarto, menos 8,7% na comparação com julho de 2019; na hotelaria, o rendimento por quarto caiu 65,3%, para 27,6 euros; no alojamento local, este indicador caiu 60,5%, para 16,2 euros.

Além do 1 milhão de hóspedes em alojamento turístico, registaram-se ainda 192,3 mil campistas (-43,5% face a julho de 2019) e 10,1 mil hóspedes em colónias de férias e pousadas da juventude (-75,6% na comparação com julho de 2019).

Dormidas nos estabelecimentos de alojamento turistico-01-01

(Notícia atualizada às 11h57 pela última vez)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

dgs covid portugal coronavirus

Mais cinco mortos e 463 infetados por covid-19 em Portugal

Turismo rural com as menores perdas em julho