redes sociais

Twitter adverte mas não elimina publicações de políticos que violem as regras

twitter-mobile-app-ss-1920-960x540_c

A rede social Twitter decidiu esta quinta-feira tomar medidas contra publicações de responsáveis políticos que violem as suas regras.

A rede social Twitter decidiu esta quinta-feira tomar medidas contra publicações de responsáveis políticos que violem as suas regras, como por exemplo de incitação à violência, mas não as eliminará, foi hoje divulgado pela empresa norte-americana.

Os tuítes em causa serão precedidos de uma mensagem explicando que vão contra as regras da rede social, mas serão difundidos na mesma “no interesse do grande público”, explicou o Twitter numa publicação de blogue.

“Participar no debate público inclui fornecer a possibilidade a cada um de falar de assuntos que lhe interessam, isso pode ser particularmente importante quando se trata de responsáveis governamentais e políticos”, justificou a tecnológica sediada em São Francisco.

A rede social argumenta que “em razão da sua posição, esses responsáveis têm uma influência enorme e dizem por vezes coisas que podem ser consideradas controversas ou convidam ao debate e à discussão”.

“Há certos casos onde é do interesse do público ter acesso a certos tuítes, mesmo quando contrariam as nossas regras”, argumentou a rede social.

Em alguns “casos muito raros”, o Twitter colocará “um aviso, um ecrã sobre o qual será preciso clicar antes de ver o tuíte, a fim de dar contexto e clareza”.

Para além do aviso, o Twitter prevê oferecer menos visibilidade às publicações que violem as regras, tal como já acontece com conteúdos de caráter sensível.

A nova regra aplicar-se-á aos responsáveis governamentais, aos eleitos e aos candidatos a uma eleição ou a um cargo governamental que tenham mais de 100 mil seguidores, e será necessário que a conta esteja certificada pelo Twitter.

Estas medidas entrarão em vigor a partir de hoje mas não a afetarão publicações anteriores, e são implementadas numa altura em que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que poderá ser afetado pela medida, acusa a rede social de o censurar.

“Eles impedem as pessoas de me seguir no Twitter, e eu tenho muito mais dificuldades para passar a minha mensagem”, disse o presidente norte-americano à televisão Fox Business.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, discursa durante o almoço-debate "Os Desafios da Ferrovia: Infraestrutura, Serviços e Indústria", organizado pelo International Club of Portugal num hotel de Lisboa, 21 de fevereiro de 2020. TIAGO PETINGA/LUSA

Prejuízo da TAP “não foi um desvio qualquer” e já devia ter tido lucro

Twitter adverte mas não elimina publicações de políticos que violem as regras