mobilidade

Uber lança sistema para limitar horas de condução

Fotografia: EPA/LUONG THAI LINH
Fotografia: EPA/LUONG THAI LINH

Assim que o limite de horas for ultrapassado, o motorista sai do sistema durante seis horas seguidas.

Nenhum motorista parceiro da Uber vai poder trabalhar mais de 10 horas seguidas. A plataforma de transportes norte-americana lançou esta quinta-feira um sistema que impede o condutor de realizar viagem após acumular 10 horas de condução.

  • O sistema vai contabilizar o tempo de condução acumulado, permitindo aos motoristas terem a noção exata de há quanto tempo estão a trabalhar para a Uber, e também envia notificações periódicas ao motorista quando o limite de tempo de condução de 10 horas se está a aproximar. Assim que o limite de horas for ultrapassado, o motorista sai do sistema durante seis horas seguidas. Só depois é que poderá voltar a transportar passageiros.

A única exceção ocorre no caso de um motorista iniciar um serviço quando estiver prestes a atingir o limite das 10 horas. Por exemplo, se o condutor estiver a trabalhar há 9h45, estiver com um cliente, apanhar trânsito e, por causa disso, ultrapassar o limite das 10 horas, o sistema só entra em ação assim que acabar a viagem.

Rui Bento, diretor-geral ibérico da Uber, refere a nova funcionalidade “é importante para proteger não só os motoristas que viajam com a aplicação da Uber, mas também os utilizadores e quem circula nas estradas portuguesas”.

A empresa lembra que cerca de 60% dos portugueses inquiridos num estudo de segurança sobre atitudes seguras admitiram ter conduzido mesmo depois de estarem demasiado cansados para o fazer nos 12 meses antes da publicação destes dados.

A nova funcionalidade da Uber adapta-se à legislação as plataformas de transporte de passageiros em veículos de passageiros, designada como “Lei da Uber”. Esta lei prevê que os motoristas não possam conduzir mais de 10 horas consecutivamente. Deverá entrar em vigor nos próximos meses, depois de ser reapreciada pelo Parlamento, na sequência do veto de Marcelo Rebelo de Sousa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Facebook's founder and CEO Mark Zuckerberg reacts as he speaks at the Viva Tech start-up and technology summit in Paris, France, May 24, 2018. REUTERS/Charles Platiau - RC11ABE16B10

Abusos nos dados privados pode custar ao Facebook entre 3 a 5 mil milhões

Foto: Global Imagens

Jovens licenciados portugueses com maior probabilidade de terem salários baixos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa,  intervem durante a sessão solene comemorativa dos 45 anos da Revolução de 25 de Abril na Assembleia da República em Lisboa, 25 de abril de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Presidente da República pede “mais ambição” para resolver problemas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Uber lança sistema para limitar horas de condução