transportes

Uber vai além das fronteiras de Lisboa e tem clientes de 80 países

Almada, Amadora, Cascais, Loures e Sintra são alguns dos concelhos onde é possível pedir um carro da Uber dentro da Área Metropolitana de Lisboa

Sabia que um carro da Uber já atravessa a ponte para Almada, pode deixá-lo na Marina de Cascais ou à porta do Palácio da Pena? A aplicação de transportes já ultrapassou as fronteiras de Lisboa e está a estender-se pela Área Metropolitana de Lisboa, revelam os dados da empresa divulgados esta terça-feira.

Por exemplo, se estiver no centro de Lisboa e chamar um carro, o tempo médio de espera é de 3,2 minutos. Mas, se estiver em Almada ou em Sintra, conte com praticamente o dobro do tempo (6,3 minutos), indica a representação da empresa em Portugal. Em zonas como Loures ou Odivelas, tem de aguardar à volta de cinco minutos pelo carro, conforme pode ver no gráfico abaixo.

Fonte: Uber Portugal

Rui Bento, o diretor geral da plataforma em Portugal, destaca: “é com satisfação que vemos que conseguimos proporcionar viagens seguras e convenientes a cada vez mais pessoas,
dentro e fora da cidade de Lisboa, com tempos médios de espera inferiores a 5 minutos em muitos dos principais centros urbanos da Área Metropolitana de Lisboa”.

Além de estender-se a cada vez mais concelhos, este serviço conta com cada vez mais clientes um pouco por todo o mundo. São utilizadores de mais de 80 países que já utilizaram a aplicação de transportes na capital portuguesa. Desde a Rússia aos Estados Unidos, passando pelo Brasil, África do Sul e Austrália, como mostra o mapa abaixo.

A Uber chegou a Portugal no início de julho de 2014 a Portugal. Primeiro apenas com o serviço Uber Black, com carros de segmento superior (premium). Depois, a partir de dezembro de 2014, com a oferta UberX, que desencadeou a polémica com as associações de taxistas portuguesas.

A plataforma norte-americana chegou a ser alvo de uma providência cautelar promovida pela ANTRAL. O Tribunal da Comarca de Lisboa aceitou o documento, só que a decisão acabou por não ter efeitos práticos, por causa do nome da empresa escolhida. A ação incidia sobre a Uber Inc (com sede nos EUA) e não na Uber B.V. (com sede na Holanda e que é a dona da plataforma em Portugal).

Atualmente, quer a Uber quer a Cabify aguardam o processo de regulamentação de atividade junto do Ministério do Ambiente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka

Polónia multa Jerónimo Martins em 26 milhões por práticas enganadoras nos preços

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Tiago Petinga/Lusa

Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% ‘coberto’ pela ajuda do Estado

Fotografia: D.R.

Novo Banco. GNB teve idoneidade verificada pelo regulador

Uber vai além das fronteiras de Lisboa e tem clientes de 80 países