transportes

Uber vai além das fronteiras de Lisboa e tem clientes de 80 países

Almada, Amadora, Cascais, Loures e Sintra são alguns dos concelhos onde é possível pedir um carro da Uber dentro da Área Metropolitana de Lisboa

Sabia que um carro da Uber já atravessa a ponte para Almada, pode deixá-lo na Marina de Cascais ou à porta do Palácio da Pena? A aplicação de transportes já ultrapassou as fronteiras de Lisboa e está a estender-se pela Área Metropolitana de Lisboa, revelam os dados da empresa divulgados esta terça-feira.

Por exemplo, se estiver no centro de Lisboa e chamar um carro, o tempo médio de espera é de 3,2 minutos. Mas, se estiver em Almada ou em Sintra, conte com praticamente o dobro do tempo (6,3 minutos), indica a representação da empresa em Portugal. Em zonas como Loures ou Odivelas, tem de aguardar à volta de cinco minutos pelo carro, conforme pode ver no gráfico abaixo.

Fonte: Uber Portugal

Rui Bento, o diretor geral da plataforma em Portugal, destaca: “é com satisfação que vemos que conseguimos proporcionar viagens seguras e convenientes a cada vez mais pessoas,
dentro e fora da cidade de Lisboa, com tempos médios de espera inferiores a 5 minutos em muitos dos principais centros urbanos da Área Metropolitana de Lisboa”.

Além de estender-se a cada vez mais concelhos, este serviço conta com cada vez mais clientes um pouco por todo o mundo. São utilizadores de mais de 80 países que já utilizaram a aplicação de transportes na capital portuguesa. Desde a Rússia aos Estados Unidos, passando pelo Brasil, África do Sul e Austrália, como mostra o mapa abaixo.

A Uber chegou a Portugal no início de julho de 2014 a Portugal. Primeiro apenas com o serviço Uber Black, com carros de segmento superior (premium). Depois, a partir de dezembro de 2014, com a oferta UberX, que desencadeou a polémica com as associações de taxistas portuguesas.

A plataforma norte-americana chegou a ser alvo de uma providência cautelar promovida pela ANTRAL. O Tribunal da Comarca de Lisboa aceitou o documento, só que a decisão acabou por não ter efeitos práticos, por causa do nome da empresa escolhida. A ação incidia sobre a Uber Inc (com sede nos EUA) e não na Uber B.V. (com sede na Holanda e que é a dona da plataforma em Portugal).

Atualmente, quer a Uber quer a Cabify aguardam o processo de regulamentação de atividade junto do Ministério do Ambiente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva (C), acompanhada pelo secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita(D) e pela secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdadepela (D), Rosa Monteiro, durante a reunião da Comissão Permanente de Concertação Social, em Lisboa, 26 de fevereiro de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo propõe licença paga até um ano a part-timers com filhos

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

Uber vai além das fronteiras de Lisboa e tem clientes de 80 países